Cientista Bill Nye não acredita que possamos terraformar Marte e viver por lá

Cientista Bill Nye não acredita que possamos terraformar Marte e viver por lá

Por Patrícia Gnipper | 20 de Novembro de 2018 às 09h30

Bill Nye, o "the science guy", começou sua carreira como engenheiro mecânico na Boeing mas fez seu nome enquanto cientista educacional, apresentando na TV da década de 1990 o programa voltado ao público infanto-juvenil chamado Bill Nye the Science Guy (aqui no Brasil, a Rede Globo exibiu o show sob o nome de Eureka). Atualmente, ele apresenta uma releitura de seu programa, mas voltado ao público adulto, chamado Bill Nye Salva o Mundo e, aproveitando que voltou aos holofotes, polemizou em entrevista ao USA Today afirmando não acreditar na possibilidade de terraformação de Marte — muito menos que a humanidade vá conseguir estabelecer uma colônia fixa por lá.

Nye acredita que esta ideia, ainda que venha sendo seriamente estudada e considerada tanto pela NASA quanto por empresas privadas, como a SpaceX de Elon Musk, não passe de ficção científica. "Toda essa ideia de terraformar Marte, por mais respeitoso que eu possa ser: vocês estão doidões? Nós não podemos nem cuidar deste planeta onde moramos, quanto mais outro planeta" disse Nye durante a entrevista.

Terraformar Marte significa transformar o planeta inóspito em algo parecido com a Terra

Atualmente CEO da Sociedade Planetária (organização não governamental co-fundada em 1980 por Carl Sagan e dedicada a defender projetos de pesquisa voltados à astronomia, ciência planetária e exploração espacial), Bill levantou o assunto porque ele aparece na série Mars, do National Geographic Channel. A série explora seres humanos que vivem no Planeta Vermelho, e Nye veio a público para deixar claro que apoia a obra de ficção, mas que essa ideia de colonizar Marte não passa, em sua visão, de apenas ficção.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Ele aponta a região da Antártida como exemplo para ilustrar o fato de que, sob condições extremas, os cientistas que trabalham por lá não vivem permanentemente, justamente porque a região apresenta muitas adversidades à sobrevivência humana. "Ninguém vai à Antártida para criar uma família. Você não vai lá e constrói um parque, isso simplesmente não existe. Então ninguém vai se estabelecer em Marte e criar uma geração de marcianos; não é razoável, porque lá é muito frio, e dificilmente haverá água. E, o mais importante, não há nada para respirar", declarou o cientista.

Nye segue argumentando que, além de viver em um habitat totalmente artificial, vestir um traje espacial para sair da moradia e enfrentar o mundo lá fora seria algo extremamente cansativo no dia a dia. Ainda assim, Bill é a favor de explorar o Planeta Vermelho com astronautas. "Eu quero encontrar evidências de vida em outro mundo durante meu tempo de vida, então Marte é o próximo lugar para se olhar. Não sabemos o que vamos encontrar lá, e por isso vamos explorar esse horizonte desconhecido. E o envio de astronautas tem um objetivo muito prático: o que nossos melhores rovers podem fazer em uma semana, um humano pode fazer em cerca de cinco minutos", disse.

Fonte: USA Today

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.