Beresheet perde comunicação; nave pode ter sido destruída ao pousar na Lua

Por Patrícia Gnipper | 11 de Abril de 2019 às 16h50
Oshratsl / Wikimedia Commons, CC BY-SA

Em fevereiro, a startup israelense se tornou a primeira empresa privada a lançar uma nave rumo à Lua. Depois de orbitar a Terra e lentamente se aproximar da órbita da Lua, a nave Beresheet estava programada para pousar na Lua nesta quinta-feira (11), o que faria com que Israel se tornasse a quarta nação a pousar uma nave em nosso satélite natural — depois dos Estados Unidos, a antiga União Soviética e a China. Contudo, nos minutinhos finais da descida, a comunicação com a nave foi completamente interrompida, e o pouso não foi confirmado.

Apesar de ainda não ter feito um pronunciamento oficial explicando o que aconteceu para que o pouso na Lua falhasse (pode ser que a comunicação tenha apenas falhado, mas a nave pousado com sucesso, e também pode ser que a nave tenha explodido ou se destruído ao se chocar contra o solo), a SpaceIL já disse que tentará de novo — e ficamos aguardando mais informações sobre o que aconteceu de verdade com a Beresheet, bem como sobre a próxima tentativa da empresa israelense.

Depois de 20 minutos com os motores devidamente acionados, a nave foi descendo na órbita gradativamente, até que se aproximou da superfície para o pouso. O momento foi transmitido ao vivo pela internet, e você pode reviver a transmissão no vídeo abaixo, com comentários em português feitos por Salvador Nogueira, do Mensageiro Sideral:

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

O local escolhido para o pouso foi o Mare Serenitatis, uma vasta planície no lado mais próximo da Lua. Ainda que a missão da Beresheet não fosse exatamente científica, a nave, caso pousasse com sucesso, permaneceria ativa por alguns dias até que sua missão fosse oficialmente encerrada pela SpaceIL, pois o objetivo da ação era somente se tornar a primeira empresa privada a realizar o feito de pousar uma nave na Lua, abrindo caminho para que a iniciativa privada também começasse a explorar outros mundos daqui para frente.

Mas, ainda assim, a Beresheet carregou consigo um dispositivo retrorefletor da NASA e um outro dispositivo para medir o campo magnético da Lua. A bordo, também estava uma bandeira israelense, um disco contendo um enorme pacote de artigos da Wikipédia, cópias da Bíblia e desenhos criados por crianças israelenses.

A SpaceIL foi uma das empresas privadas que participaram do Lunar X Prize, competição encabeçada pela Google que prometeu um prêmio de US$ 20 milhões para quem conseguisse enviar uma nave à Lua primeiro. Sem vencedores, a competição foi postergada várias vezes até que acabou sendo encerrada em 2018 — mas empresas como esta israelense não desistiram de seus planos.

Por enquanto, único registro que temos da tentativa de pouso da Beresheet na Lua em imagens reais (e não simulações ou animações baseadas em telemetria), é esta foto que a nave tirou enquanto estava no processo de descida, poucos minutos antes da falha:

(Foto: SpaceIL)
Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.