Primeira missão privada para Lua será lançada nesta quinta

Por Wagner Wakka | 21 de Fevereiro de 2019 às 20h10
Oshratsl / Wikimedia Commons, CC BY-SA

A primeira missão espacial feita por uma empresa privada com destino à Lua começa nesta semana. Na noite de quinta-feira (21), a empresa israelense SpaceIL vai lançar sua nave chamada Beresheet em um foguete Falcon 9 da SpaceX, direto do Cabo Canaveral, nos Estados Unidos.

A missão não vai contar com tripulantes, enviando apenas a nave Beresheet, que pesa 180 quilos. O pequeno veículo lunar vai demorar seis semanas para fazer o trajeto na órbita da Terra até ser puxado efetivamente pela Lua para pousar no nosso satélite natural. O lançamento está programado para 22h45, no horário de Brasília.

Missão

O conjunto será lançado por um foguete Falcon 9, o qual vai soltar a espaçonave a uma velocidade acima de 36 mil km/h e voltar para pouso terrestre, como é típico de lançamentos da SpaceX com o foguete reutilizável.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Em 9 horas, a expectativa é de que a Beresheet pegue uma altitude acima dos 60 mil quilômetros formando uma órbita elíptica na Terra, cada vez mais aberta. Quando chegar à órbita mais longa possível e maior velocidade, os engenheiros vão religar os motores para encaminhar a nave à direção da Lua. Ou seja, a missão acontece em pequenos ciclos, cada vez maiores, para conseguir se aproximar da órbita lunar.

Sistema de órbitas feitas pela Beresheet para chegar à Lua (Foto: Captura/YouTube)

Quando ambas (nave e Lua) estiverem muito próximas, a expectativa é de que a gravidade da Lua puxe o veículo para perto. O veículo então vai começar a ser freado para “cair” na superfície lunar. Para o pouso em uma área programa de 30 km, a Beresheet já conta com um sistema autônomo capaz de reduzir a própria velocidade, de 6 mil km/h para zero. Quando o veículo ficar a 5 metros do chão, os motores serão desligados e ele cairá lentamente no solo.

A nave será controlada da Terra e abastecida com energia solar, sendo capaz de chegar a uma temperatura de 200°C, com perigo até de superaquecer. A expectativa é de que toda esta missão demore cerca de seis semanas para ser realizada por completo.

Fonte: Arstechnica

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.