Atraso da Boeing e SpaceX pode impedir viagens à Estação Espacial Internacional

Por Redação | 18 de Janeiro de 2018 às 15h25
photo_camera Nasa
TUDO SOBRE

SpaceX

A Nasa está enfrentando um problema comum a grande centros na hora do rush, quando um táxi ou o Uber nunca aparece: a falta de aeronaves para chegar e sair da Estação Espacial Internacional. E o problema é grave, pois não há oferta de naves espaciais americanas nem estrangeiras. Esse cenário impede que astronautas viajem até o laboratório de US$ 100 bilhões e que demorou 20 anos para ficar pronto.

O atraso de encomendas feitas pela Nasa está causando esse embaraço. A agência espacial fechou acordos com a gigante Boeing e a SpaceX, de Elon Musk, para construir naves mais econômicas e seguras que o ônibus espacial aposentado em 2011. A Boeing já recebeu US$ 4,82 bilhões e a SpaceX, US$ 3,14 bilhões do contrato assinado.

O problema é que exigiências previstas em contrato deveriam ter sido feitas até 2017, o que acabou não acontecendo. Além de fazer testes com voos tripulados, a Boeing precisa tirar o certificado da sua CST-100 Starliner e a SpaceX, da sua cápsula Crew Dragon. E esses atrasos geraram uma bola de neve. 

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Enquanto esperava as novas aeronaves, a Nase comprou assentos na Soyuz, da Rússia. O atraso da Boeing e SpaceX obrigaram a agência a renovar esse contrato, a preços mais altos, mas essa carona espacial pode estar com seus dias contatos: a Soyuz, por questões técnicas, só tem disponibilidade até 2019. 

Então, se os certificados não saírem até o fim de 2019, os astronautas não poderão viajar até a Estação Espacial por tempo interminado.

Prejuízo na pesquisa

O prejuízo pode ser imenso. A Estação Espacial está pronta para funcionar em sua máxima capacidade, e os estudos feitos por lá seriam fundamentais para entender os efeitos do corpo humano durante viagens espaciais. Os dados ajudariam a planejar missões para a Lua e Marte, por exemplo.

Nasa e membros do governo dos Estados Unidos trabalham com uma previsão que chega ao limite do prazo que está no horizonte, fim de 2019. A SpaceX promete para dezembro de 2018 seu primeiro voo tripulado de demonstração, e sua certificação deve sair em fevereiro de 2019.

Já a Boeing espera fazer o primeiro voo em outubro de 2018 e obter a certificação em janeiro de 2019.

Fonte: Business Insider

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.