Aprenda a observar o céu com o Catálogo Caldwell — e uma ajudinha do Hubble

Por Patrícia Gnipper | 17 de Janeiro de 2020 às 16h05
NASA/Hubble
Tudo sobre

NASA

Saiba tudo sobre NASA

Ver mais

Você que tem um telescópio, ainda que "basicão", e de vez em quando tenta observar por conta própria algumas maravilhas do universo, já ouviu falar no Catálogo Caldwell? Se "sim", sabia que a NASA disponibiliza de graça as contribuições do telescópio Hubble ao catálogo? Se "não", saiba que esse catálogo pode servir como seu guia oficial para observações futuras cada vez mais assertivas!

O Catálogo Caldwell é um catálogo astronômico com 109 itens incluindo aglomerados de estrelas, nebulosas e galáxias para ajudar astrônomos amadores em suas atividades. Ele foi compilado nos anos 1980 pelo astrônomo britânico Patrick Moore como um complemento ao Catálogo Messier, criado no século XVIII pelo astrônomo francês Charles Messier para ajudar observadores do céu a diferenciar objetos já identificados. Moore adicionou ao catálogo corpos celestes encontrados no céu dos hemisférios norte e sul, enquanto a versão de Messier apresentava apenas objetos visíveis na latitude de Paris.

Os 109 itens presentes no Catálogo Caldwell (Imagem: Roberto Mura)

Esses catálogos são, até hoje, de especial interesse para astrônomos amadores e entusiastas da astronomia, pois os objetos listados ali são antigos conhecidos e, portanto, servem como um guia confiável e inicial a quem está aprendendo a manipular telescópios — e ansiando colocar os olhos em belos corpos espaciais o mais rápido possível.

Agora voltando ao Catálogo Caldwell… o Hubble, entre muitas outras colaborações sem precedentes que fez à astronomia em quase 30 anos de operação, também deu uma "mãozinha" aqui. O telescópio espacial fotografou, em alta resolução e com nitidez impressionante, 95 objetos dos 109 que compõem o catálogo — isso apenas no final de 2019.

A galáxia NGC 6744, número 101 no Catálogo Caldwell, registrada pelo Hubble (Foto: NASA)

E a NASA disponibiliza quase todas essas imagens gratuitamente para quem quiser não somente admirar a beleza de tais corpos celestes, como também para quem está se aventurando no mundo das observações astronômicas e quer usar como referência nada menos do que os melhores registros que temos, hoje em dia, dos objetos que fazem parte do catálogo. A ideia é que observadores amadores possam comparar o que estão vendo em seus telescópios (e até mesmo binóculos, dependendo do alvo) com o que o Hubble vê, tendo em mãos ainda mais detalhes e informações para complementar seus estudos do céu noturno.

O Catálogo Caldwell concentra 46 aglomerados de estrelas, 35 galáxias e 28 nebulosas, totalizando 109 objetos, e você pode conferir as imagens do Hubble no Flickr da NASA, ou ainda no site do Hubble — nesta página, por sinal, ao clicar em cada uma das imagens, você é direcionado a uma outra página com informações aprofundadas sobre o objeto, bem como com instruções de como localizá-lo no céu, a depender de sua localidade.

No site do Hubble, a agência espacial também ensina para onde olhar se quiser localizar os itens do Catálogo Caldwell. Esta imagem mostra a direção da galáxia NGC 6744, ou C101 no catálogo, no céu noturno do hemisfério sul em determinada época do ano (Imagem: NASA)

Aproveite as contribuições da NASA ao Catálogo Caldwell, e boas observações astronômicas!

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.