Amostras de Ryugu revelam detalhes da superfície e do interior do asteroide

Amostras de Ryugu revelam detalhes da superfície e do interior do asteroide

Por Danielle Cassita | Editado por Patrícia Gnipper | 10 de Fevereiro de 2022 às 19h01
JAXA

Análises das amostras de Ryugu revelaram detalhes da superfície e do interior do asteroide. Os cientistas que analisaram as amostras concluíram que o Ryugu é um asteroide formado por pedaços longos e achatados. O material estudado foi coletado pela missão Hayabusa-2 em 2014 e chegou à Terra em 2020, oferecendo uma bela oportunidade de estudar o objeto com equipamentos laboratoriais.

Quando o visitou, a sonda Hayabusa-2 coletou cerca de 5,4 g de amostras do asteroide, e pequenos grãos dela foram utilizados. Os pesquisadores produziram imagens dos grãos com um telescópio óptico, e compararam as observações em laboratório com aquelas feitas pela sonda para, assim, entender como o material representa o asteroide em sua totalidade.

Imagens microscópicas das partículas do asteroide trazidas pela Hayabusa2 (Imagem: Reprodução/S. Tachibana; et al)

Shogo Tachibana, cosmoquímico e pesquisador da agência espacial japonesa JAXA, explica que a equipe focou o estudo em uma comparação entre pequenas rochas observadas pela sonda e as amostras trazidas à Terra, para avaliar a representatividade dos grãos coletados de área limitadas do asteroide. “De um ponto de vista morfológico, as amostras representam bem as partículas da superfície do Ryugu”, observou ele.

Ele disse que os fragmentos estudados eram chatos e alongados. “Esta morfologia, provavelmente formada por fragmentos de grandes rochas, parece ser característica dos seixos na superfície do Ryugu, e agora as temos em mãos”, explicou. Ryugu é um asteroide próximo da Terra com estrutura considerada uma das mais escuras do Sistema Solar. Além disso, ele é mais seco do que se esperava — uma descoberta estranha, já que o objeto que o deu origem deveria ser rico em água de gelo.

Após deixar a cápsula com as amostras, a Hayabusa-2 já seguiu viagem em sua missão estendida. Agora, ela está indo com destino ao (98943) 2001 CC21, um asteroide com 700 m de extensão, e deverá sobrevoá-lo em 2016. Se tudo correr bem, ela seguirá posteriormente para o asteroide 1998 KY26, para um sobrevoo em 2031. Não haverá coleta de amostras de nenhum deles.

O artigo com os resultados do estudo foi publicado na revista Science.

Fonte: Science; Via: Space.com

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.