"Alpes de Marte" podem abrigar as maiores formações de gelo do Planeta Vermelho

Por Danielle Cassita | 16 de Dezembro de 2020 às 16h20
NASA

Um novo estudo feito por Daniel C. Berman, cientista do Planetary Science Institute, sugere que uma grande reserva de água em Marte — que não havia sido identificada anteriormente — está em bom estado de conservação, e foi formada alguns milhões de anos atrás. As análises foram feitas com o instrumento Shallow Radar (SHARAD), e mostraram que pelo menos uma das formações tem espessura aproximada de 500 metros, composta quase totalmente por gelo.

Os dados foram obtidos pelo mapeamento global do Fluxo de Formações Viscosas (VFF); trata-se de um agrupamento de formações de fluxo ricas em gelo, localizadas no hemisfério sul de Marte. Assim, os cientistas notaram uma densa concentração na região de Nereidum Montes, os "Alpes de Marte", ao longo do norte da bacia Argyre. Já no nordeste desta formação montanhosa, há um grande número de VFFs bem preservadas, junto de depósitos ricos em gelo. Essas, talvez, sejam as maiores concentrações de qualquer região não-polar no hemisfério norte.

Observação do SHARAD de uma VFF em Nereidum Montes (Imagem: Reprodução/NASA/JPL-Caltech/MSSS)

Depois, os dados processados do instrumento SHARAD, que equipa a sonda Mars Reconnaissance Orbiter, foram usados para buscar reflexos basais ao longo de VFFs na área. Por meio de observações e análises, a equipe estabeleceu ser possível que uma delas seja formada praticamente por gelo puro. Já as distribuições de frequência de tamanho sugerem que os depósitos se estabilizaram há dezenas de milhões de anos.

De acordo com os pesquisadores, os resultados mostram que as VFFs têm estados de preservação mais completos e variados na região de Nereidum Montes do que formações similares em outras regiões do Planeta Vermelho, de modo que a região tem depósitos bem preservados que estão associados à VFF. Assim, eles concluem ser possível que as VFFs sejam formadas por fluxos de gelo dos depósitos do manto nas encostas das colinas. Embora a região seja um local interessante, cientificamente falando, por ter grandes quantidades de gelo que poderiam ser usadas como fonte de água, o terreno por lá é extremamente montanhoso, o que dificulta um possível pouso por lá. 

O artigo com os resultados do estudo foi publicado na revista Icarus.

Fonte: PSI

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.