Aliens existem? Entenda a relação de Tom DeLonge, do Blink-182, com OVNIs

Por Natalie Rosa | 03 de Outubro de 2019 às 21h50
Reprodução

Tom DeLonge se tornou uma figura pública em meados dos anos 1990 e na década de 2000, graças à criação da sua banda Blink-182. Guitarrista e vocalista, era nas músicas e clipes do grupo que Tom e os integrantes — Mark Hoppus e Travis Barker — começaram a popularizar o punk rock, praticamente criando um gênero que iria influenciar diversas bandas no futuro: o pop punk.

Mas nem só de música, shows e videoclipes nas paradas da MTV vivia Tom DeLonge. Desde muito tempo atrás, o músico sempre mostrou interesse por alienígenas, pelo espaço, e hoje dedica uma boa parte do seu tempo para a investigação da vida fora da Terra. Uma das músicas do Blink-182, por exemplo, se chama Aliens Exist, do álbum Enema of the State, de 1999.

Travis Barker, Tom DeLonge e Mark Hoppus (Imagem: Reprodução)

"Ei, mãe, tem algo na sala de trás. Espero que não sejam as criaturas lá de cima".

"Nós todos sabemos que conspirações são burras. E se as pessoas soubessem que isso é real, eu deixaria a porta do meu armário aberta a noite toda".

"Eu sei que a CIA diria que tudo o que ouvimos são boatos. Eu queria que alguém me dissesse que isso era certo".

"Eu recebi uma injeção. Do medo da abdução, meus melhores amigos acham que eu estou contando mentiras".

Essas são algumas das frases da música escrita por Tom, que é cantada junto às melodias suaves e o típico ritmo acelerado do pop punk.

Hoje, Tom DeLonge não está mais na banda que ajudou a fundar, sendo substituído por Matt Skiba, que já estava imerso no universo do punk rock norte-americano com a sua banda Alkaline Trio. Brigas, expulsão, objetivos diferentes, novos própósitos, cansaço, idade... muito se falou sobre a saída de Tom da banda ao longo de alguns anos de conflitos e rumores.

E Tom se dedica, atualmente, à sua banda paralela Angels and Airwaves, bem como à corporação To The Stars Academy, onde é presidente do conselho e ajudou na fundação.

Imagem: Reprodução

Como tudo começou

Em entrevista ao The New York Times, DeLonge contou que sempre achou a ficção científica fascinante, desde quando ainda era muito criança. "Eu e meu irmão gostávamos muito dessa 'coisa de Star Wars' nos anos 1980. Isso só me levou a pensar mais além".

O músico conta que quando criou a banda Angels and Airwaves, começou a rever a sua vida, quem ele era, o que queria ser e para onde queria ir, contando ainda que não podia revelar a ninguém sobre o que já estava estudando.

No início, foi difícil levar os objetivos e os rumores que circulavam sobre a carreira de Tom a sério, visto que a banda Blink-182 sempre foi muito "brincalhona" e extrovertida. Tom DeLonge, o Tom do Blink 182, envolvido com o governo norte-americano para pesquisa UFOs? Aquele que aparece pelado em um clipe ou ainda tirando sarro das boy bands dos anos 1990? Tudo parecia muito surreal para ser verdade no começo.

Tom e sua banda Angels and Airwaves (Imagem: Reprodução)

"O meu intelecto, seja qual for o nível em que estiver, é o que levou essa reunião a gerar frutos. Eu acho que, pela minha perspectiva, o mais importante é que eu estava focado em ser eloquente. Ser humilde com o assunto porque ele não é uma piada. Eu precisava ser respeitoso sobre o que eu estava dizendo, como eu estava dizendo. Eu acho que, devido a todas essas coisas, eu ganhei confiança e consegui mais reuniões. Foi um processo, não aconteceu do dia para a noite, levou alguns anos", disse Tom sobre a sua colaboração com o governo dos Estados Unidos.

Progresso nas pesquisas

Recentemente, o processo de pesquisa e estudo de Tom mostrou avanços. A To The Stars Academy nasceu oficialmente em 2017 e hoje conta com 12 pessoas na equipe, entre ex-funcionários do governo dos EUA, que têm o objetivo de levar o conhecimento sobre fenômenos científicos à sociedade por meio do entretenimento, da ciência e do segmento aeroespacial.

No mês passado, a To The Stars Academy virou assunto na mídia quando a marinha norte-americana confirmou a presença de OVNIs em vídeos divulgados pela organização. Os vídeos em questão, alguns gravados em San Diego, na Califórnia, mostram objetos voadores não-identificados nem mesmo pela marinha, visto em que a área em que o flagra foi feito é controlado pelo governo.

Como descreve a publicação original sobre os vídeos no site da To The Stars Academy, o objeto se torna não-identificado por não aparecer asas ou caudas, e por não haver rastros de trajeto do objeto, como fumaça.

Mesmo que não se tenha ideia do que podem ser esses objetos, o veredito da marinha é um grande avanço para Tom DeLonge e seus estudos.

Imagem: Reprodução

Próximos passos do projeto

Depois dessa notícia, a equipe da organização disse que está pronta para fazer uma nova revelação, contando que tem em mãos "amostras de materiais exóticos de OVNIs". Em julho deste ano,a To The Stars Academy publicou no Twitter uma imagem e a legenda:

"A estrutura e composição desses materiais não são de conhecimento de nenhuma aplicação militar ou comercial existente. Estamos focando em fator verificáveis e trabalhando no desenvolvimento de provas científicas independentes das propriedades e atributos desses materiais".

Luiz Elizondo, que trabalha ao lado de DeLonge na companhia, conta que estão em busca de pessoas qualificadas das instituições mais respeitáveis para conduzir análises científicas. Essas verificações incluem examinação física, química, molecular e até nuclear.

Luiz Elizondo (Imagem: Reprodução)

Não há planos, no entanto, de que mais informações sobre os materiais sejam divulgados tão cedo. "A última coisa que queremos é chegar à qualquer conclusão prematura. Por fim, apenas os dados vão decidir o que algo é ou não", diz Elizondo.

History Channel

A To The Stars Academy foi reconhecida, ainda em 2017, pela equipe do canal pago History Channel, quando Luis Elizondo confirmou ao mundo que o governo dos Estados Unidos possui um programa secreto para estudar a vida extraterrestre.

Tom DeLonge e Luiz Elizondo (Imagem: Reprodução)

Tudo isso rendeu na produção de uma série limitada chamada Unindentifies: Inside America's UFO Investigation, contando com seis partes. No programa, Elizondo apresenta ao público detalhes sobre essa investigação ao lado de Tom DeLonge e Chris Mellon, ex-funcionário da inteligência.

Tom DeLonge já viu OVNIs?

Assim como muitas pessoas,Tom DeLonge afirma já sim avistado objetos voadores não-identificados em sua vida. Ele conta que, quando as situações aconteceram, ele ficou muito impressionado pois sabia que satélites, por exemplo, não se mexem da forma na qual os objetos avistados estavam fazendo. Mas quando o assunto são OVNIs, é sempre importante ressaltar que objetos voadores não-identificados são uma coisa, naves espaciais com alienígenas em seu interior são outra. OVNIs existem e recebem este nome justamente pelo fato de tais objetos não terem sido identificados, o que não significa que se tratem de algo vindo de outro planeta, nem mesmo se fenômenos paranormais. Já alienígenas... bem, a busca por eles continua, mas até agora a ciência não tem comprovação nenhuma de que eles existem — muito menos que têm nos visitado!

Fonte: Com informações de: NY Times, To The Stars Academy e The Sun

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.