Agência Espacial Europeia cria mapa mostrando onde existe gelo escondido na Lua

Por Daniele Cavalcante | 09 de Abril de 2020 às 20h45
ESA

Mapear o gelo disponível na Lua é de grande importância para as futuras missões humanas por lá. A sonda Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO), da NASA, já detectou a presença do gelo em crateras ao redor da Bacia do Polo Sul-Aitken da Lua, mas onde exatamente os astronautas poderão cavar para encontrá-lo? Pesquisadores estão mapeando esses locais, e a ESA também está ajudando nessa tarefa.

Para esse trabalho, os cientistas da Agência Espacial Europeia usaram os dados de temperatura do polo sul da Lua, obtidos pela LRO, e criaram o mapa que estará acessível para futuras as missões. Uma delas é a PROSPECT, da própria ESA, que enviará a sonda russa Luna-27 em 2025. Essa missão pegará amostras dessas reservas de gelo para avaliar a possibilidade de futuras coletas, com o objetivo de construir e manter um posto lunar avançado.

Além de água congelada, espera-se que essas amostras contenham outros materiais voláteis que podem ter ficado presos ao gelo, devido às temperaturas extremamente baixas dessa região - as crateras ficam nas sombras, sem receber luz do Sol, e mantêm uma temperatura entre -150 °C a -200 °C. Essas amostras serão obtidas com uma broca, aquecidas e analisadas pelo laboratório químico da PROSPECT para extrair esses voláteis e submetê-los a processos termoquímicos.

Mapa do gelo lunar criado pela ESA

Nesses testes, os materiais serão aquecidos a temperaturas de até 1.000 °C para verificar se outros compostos, como gás oxigênio, podem ser extraídos do gelo. Se a resposta for positiva, os cientistas saberão que este será mais um recurso que os astronautas poderão aproveitar quando estiverem em missões lunares. Além de oxigênio, espera-se encontrar outros compostos capazes de ajudar a produzir materiais de construção, água potável e ar para respirar.

O ProSPA, laboratório que estará a bordo da PROSPECT, também analisará essas amostras para obter medidas isotópicas precisas de elementos importantes presentes na Lua - como carbono, oxigênio, nitrogênio e hidrogênio. Isso significa que a sonda buscará entender quais são as variações desses elementos em relação aos que existem na Terra.

Caso essas respostas sejam encontradas, os cientistas terão em mãos mais uma peça do quebra-cabeças para entender a origem, evolução e distribuição dos produtos químicos voláteis no Sistema Solar. Essas informações darão mais pistas sobre quando a vida surgiu e onde mais ela poderia ser encontrada.

Fonte: ESA

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.