11 fatos sobre Neil Armstrong que são retratados no filme O Primeiro Homem

Por Rafael Rodrigues da Silva | 16 de Outubro de 2018 às 22h00
Tudo sobre

NASA

Saiba tudo sobre NASA

Ver mais

Atenção: esse artigo pode conter spoilers sobre eventos do filme O Primeiro Homem

Em 20 de julho de 1969, cerca de 500 milhões de pessoas viram a história acontecendo diante de seus olhos quando Neil Armstrong deu seu "pequeno passo para o homem, mas um grande passo para a humanidade", tornando-se o primeiro ser humano a pisar na superfície da Lua.

Ainda que o astronauta seja uma das figuras mais icônicas da história da exploração espacial, a história sobre os eventos que o permitiram ser o primeiro homem a pisa na Lua é bem menos conhecida pelo público. E são justamente esses os eventos explorados pelo filme O Primeiro Homem, estrelado por Ryan Gosling, que interpreta um jovem Armstrong e todas as dificuldades passadas por ele para se tornar um astronauta. O filme é baseado no livro de mesmo nome escrito por James Hansen, biógrafo oficial de Armstrong, há treze anos.

Com exceção de alguns coisas “maquiadas” por Hollywood para aumentar o drama, todos os eventos mostrados no filme são reais, inclusive a experiência de quase morte durante o treinamento e a morte de um amigo querido de Armstrong que também havia sido escolhido para a missão da Apollo.

Josh Singer, roteirista do filme, passou quatro anos pesquisando a história de Armstrong para escrever o roteiro, e o filme que estreia apenas na quinta-feira (18) já está sendo considerado como nome forte para o Oscar do ano que vem.

Em preparação para a estreia do filme, separamos aqui 10 acontecimentos reais da vida de Armstrong que são retratados em O Primeiro Homem:

Estátua de Yuri Gagarin, primeiro homem a ser enviado para o espaço, erguida na cidade de Karaganda, no Cazaquistão (Imagem: NASA)

1) Até colocarem o homem na Lua, a União Soviética havia vencido todas as batalhas da Corrida Espacial que ocorreu durante a Guerra Fria. Os soviéticos foram os primeiros a colocar um satélite em órbita em 1957 (o Sputnik), enviaram os primeiros seres vivos ao espaço em 1957 com a cadela Laika, e enviaram tanto o primeiro homem (Yuri Gagarin, em 1961) quanto a primeiro mulher (Valentina Tereshkova, em 1963) para a órbita da Terra, além de também serem os responsáveis pelo primeiro astronauta a conduzir uma atividade extraveicular no espaço, com o cosmonauta Alexei Lenov em 1963.

Neil Armstrong em frente a um jato de testes da NASA (Imagem: NASA)

2) Neil Armstrong foi o primeiro civil a ser enviado para o espaço. Antes dele, todos os outros astronautas utilizados pela NASA eram militares. Mas, por conta da experiência de anos como piloto de testes da NASA, Armstrong foi o primeiro civil a ser escolhido pela agência para suas missões espaciais.

3) Armstrong entrou para o programa espacial por causa de uma tragédia pessoal: sua filha havia desenvolvido um tumor cerebral ainda bebê, e morreu de pneumonia quando tinha apenas dois anos de idade. Durante o período de luto, Armstrong resolveu que queria se dedicar a uma causa que pudesse mudar o mundo, e foi isso que o fez se juntar ao programa espacial da NASA.

4) Durante os oito anos de pesquisas responsáveis pela missão que levou o homem à Lua (a Apollo 11), a NASA sofreu com uma série de protestos de pessoas que achavam que os U$ 24,5 bilhões investidos pelo governo dos EUA nas missões Apollo eram um desperdício de dinheiro público. Gil Scott-Heron (jazzista e poeta mais conhecido por seu poema/canção A Revolução Não Será Televisionada) escreveu até uma canção sobre o assunto, na qual se pergunta se a miséria na Terra existe apenas porque alguém quer colocar um homem branco na Lua.

Neil Armstrong durante a missão Gemini 8 (Imagem: NASA)

5) Antes de fazer parte da missão que chegou à Lua, Armstrong participou da Gemini 8, a primeira a conseguir acoplar duas espaçonaves com ambas em órbita -— algo fundamental para que a ida à Lua fosse bem sucedida. Apesar de ter dado tudo certo, a missão quase termina em tragédia: após a acoplagem, um dos propulsores da nave falhou, e o defeito fez com que a nave de Armstrong e David Scott, seu co-piloto, começasse a girar fora de controle, quase se perdendo para sempre no espaço sideral. Mas os dois conseguiram retomar o controle, e efetuaram um pouso de emergência no oceano Pacífico, fazendo com que uma missão que inicialmente deveria durar três dias fosse finalizada após apenas 11 horas.

Tripulantes da primeira missão Apollo, que explodiu antes do lançamento. Da esquerda para direita estão os astronautas Gus Grissom, Edward White e Roger Chafee (Imagem: NASA)

6) Um ano depois, Armstrong se vê mais uma vez enfrentando o luto: durante o lançamento da primeira missão Apollo, uma das bases de lançamento acabou pegando fogo, matando os três tripulantes do foguete. Um dos astronautas era Ed White, vizinho e grande amigo de Neil Armstrong.

7) Um ano antes da viagem à Lua, Armstrong sofreu uma segunda experiência de quase morte: durante um teste do módulo lunar em Houston, o veículo começou a vazar e Armstrong perdeu seu controle, o que o obrigou a abandoná-lo a mais de 60 metros do solo. O problema foi investigado e logo resolvido pela NASA, e um mês antes da missão para a Lua o astronauta testou o equipamento novamente, dessa vez sem surpresas.

Armstrong participando de uma simulação do pouso na Lua (Imagem: NASA)

8) Armstrong treinou no solo todos os movimentos que iria fazer na superfície da Lua, incluindo subir e descer as escadas do módulo lunar utilizando o uniforme completo de astronauta.

9) Em 19 de julho de 1969, Armstrong finalmente partiu em uma missão de oito dias em direção à Lua. O foguete tinha bem pouco espaço para os três tripulantes dividirem, e literalmente nenhum banheiro, o que obrigou os astronautas a fazerem suas necessidades em sacos plásticos.

Foto de Neil Armstrong dentro do módulo lunar, tirada no momento que o equipamento pousou na superfície da lua (Imagem: NASA)

10) Quatro dias depois do lançamento, os tripulantes finalmente entraram no módulo lunar para o pouso na Lua. Apesar disso, apenas dois dos três tripulantes da missão (Neil Armstrong e Buzz Aldrin) entraram no módulo para descer em nosso satélite natural, com o terceiro integrante, Michael Collins, ficando na nave aguardando o retorno de ambos. Apesar das dificuldades para chegar até ali, o pouso na Lua ocorreu sem problemas. Ao ser entrevistado pela imprensa, Armstrong fez questão de não ficar com todo o crédito, deixando claro que a caminhada na lua só foi possível por causa das centenas de pessoas que participaram de todo o processo.

Os três astronautas já de volta à Terra, em foto tirada através da janela da câmara de contenção onde ficaram durante 21 dias (Imagem: NASA)

11) A volta para a Terra também ocorreu sem problemas, mas Armstrong não pôde simplesmente chegar e descansar: os astronautas ficaram 21 dias isolados em quarentena, para garantir de que não haviam trazido nenhum tipo de doença ou microorganismo do solo lunar. Armstrong conversou com seu filho através de um telefone na cabine, e até comemorou seu aniversário de 39 anos durante o período de confinamento. Foi apenas no dia 11 de agosto que a tripulação foi liberada, e todos puderam voltar para suas casas e aproveitar a fama recém adquirida, ficando conhecidos como os mais recentes heróis nacionais dos Estados Unidos naquela época — e, por que não, também de todo o mundo.

Fonte: Business Insider

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.