Star Wars | Rogue Squadron foi adiado por conflitos criativos com Patty Jenkins

Star Wars | Rogue Squadron foi adiado por conflitos criativos com Patty Jenkins

Por Beatriz Vaccari | Editado por Jones Oliveira | 16 de Novembro de 2021 às 14h10
warner bros.

Há uma semana, noticiamos que Rogue Squadron teve seu lançamento retirado do cronograma da Lucasfilm e da Disney. Os motivos inicialmente divulgados envolviam um conflito de agenda da diretora Patty Jenkins com os estúdios, mas, ao que tudo indica, os problemas são muito maiores que apenas questões de horários de trabalho.

Essas conversas foram especuladas porque a diretora foi contratada para dirigir tanto o próximo Mulher-Maravilha para a Warner Bros como também Cleópatra, para a Paramount Pictures. No entanto, o ex-editor do Hollywood Reporter, Matthew Belloni, publicou em sua newsletter o que realmente levou o filme que contaria a história dos pilotos do famoso esquadrão da Aliança Rebelde a ser adiado:

"Jenkins não estava disposta a perder tempo por aí. Ela tem outros projetos, notavelmente Mulher-Maravilha 3 na Warner Bros, onde ela gosta de mais liberdade criativa. (A Disney e os representantes pessoais de Jenkins e Kennedy se recusaram a comentar)"

No informe, Belloni utilizou a expressão "dick around", que em inglês significa "perder tempo com bobagens". De acordo com o jornalista, a informação veio diretamente de um insider da Disney, que revelou divergências criativas que impediram as partes de chegarem a um roteiro agradável a ambas as partes. Isso, então, fez o longa-metragem literalmente estagnar na fase de pré-produção.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Rogue One também passou por conflitos criativos na produção (Imagem: Divulgação / Lucasfilm)

Essa está longe de ser a primeira vez que projetos Star Wars são impactados por conta de diferenças criativas. O primeiro caso que veio a público foi em Rogue One, considerado por muitos fãs o melhor filme do universo criado por George Lucas: Tony Gilroy (Michael Clayton) teria sido contratado para consertar o primeiro corte de Gareth Edwards, mesmo com a Disney declarando, à época, que o longa estava "praticamente concluído". Gilroy ficou responsável por refazer o final do filme, que não estava indo como esperado, sob a direção de Edwards. Isso levou a pós-produção do longa a terminar apenas em 28 de novembro de 2016. Rogue One chegou aos cinemas em 15 de dezembro daquele ano.

O segundo caso foi em Han Solo: Uma História Star Wars, em que Phil Lord e Chris Miller foram removidos no meio do desenvolvimento do longa após quatro meses e meio de filmagens e faltando poucas semanas para o término de toda a produção. Dois dias após a demissão da dupla, Ron Howard assumiu a direção para as três semanas e meia restantes já agendadas, fora as cinco semanas restantes de regravações. No final das contas, Lord e Miller acabaram recebendo créditos como "produtores executivos" do filme.

Patty Jenkins anunciou Rogue Squadron durante o Disney Investor Day 2020 num vídeo em que declarou que esse seria o próximo filme Star Wars a chegar aos cinemas, no fim de 2023. Com o lançamento retirado do calendário, os fãs agora esperam por mais novidades tanto desse longa quanto o de Taika Waititi, ainda sem título oficial, tampouco sinopse ou detalhes da trama.

Fonte: Collider

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.