Quase metade das salas de cinema do mundo já estão funcionando

Por Laísa Trojaike | 07 de Agosto de 2020 às 20h15
Bloomberg

Por serem ambientes fechados, em que pessoas sentam próximas umas das outras, e com ventilação proveniente de ar-condicionado, os cinemas ficaram indisponíveis em quase todo o mundo quando a pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2) começou a se espalhar. Meses depois, mesmo com novas ondas de contaminação, as informações são de que quase metade das salas já estão funcionando ao redor do globo, segundo informações do Variety.

Os dados foram levantados pela Gower Street Analytics, empresa de análise especializada da indústria cinematográfica, e indicam que os cinemas que representam 48% da bilheteria global abriram no último final de semana. Esse número é 41% maior que o dos sete dias anteriores e corresponde a uma arrecadação financeira que totaliza por volta de US$ 90 milhões no período de sexta a domingo.

A maioria dos cinemas reabertos agora segue rígidas regras de distanciamento físico e operam com suas capacidades reduzidas, o que significa que as bilheterias dos filmes também serão afetadas e só poderão voltar a crescer quando as salas puderem ser lotadas novamente.

Imagem: reprodução

O maior número de telas de cinema comercial do mundo está na China, o que justifica o interesse das distribuidoras no país. As salas chinesas ainda estão em processo de reabertura e, segundo dados da Gower Street, o primeiro final de semana chegou a 54% de disponibilidade de bilheteria, número que subiu para 73% no segundo fim de semana.

Para se recuperar do período de inatividade, as concorrentes AMC Theatres e Universal Pictures deram uma trégua nas rivalidades e decidiram diminuir as estreias exclusivas, permitindo que as salas possam atrair mais espectadores. Em contrapartida, uma das estreias mais aguardadas para lançamento nos cinemas, a adaptação live-action Mulan, terá seu lançamento simultâneo em streaming nos países em que o Disney+ já está disponível.

Nos EUA, as bilheterias seguem sendo fortemente impactadas pela COVID-19. Atualmente, o número de salas de cinema abertas está sofrendo uma redução, sobretudo na Califórnia, que voltou à fase de isolamento e fechamento de estabelecimentos menos essenciais. Estima-se que a bilheteria norte-americana esteja US$ 4,7 bilhões abaixo da média dos últimos três anos.

No Brasil, o projeto #JuntosPeloCinema tenta reabrir as salas do país, mas, até o momento, não há informações novas ou uma previsão de quando isso possa acontecer.

Fonte: Variety

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.