Netflix revela intenção de ser referência em filmes para família como o Disney+

Netflix revela intenção de ser referência em filmes para família como o Disney+

Por Beatriz Vaccari | 21 de Janeiro de 2021 às 13h45

O ano de 2021 mal começou e já está sendo um grande ano para a Netflix. A empresa de streaming anunciou na última terça-feira (19) que atingiu a marca de 200 milhões de assinantes ao redor do mundo e, mesmo em um momento que ainda possui sequelas do período de isolamento social, a empresa se comprometeu a lançar um filme por semana em seu catálogo de títulos originais.

É claro que, apesar de atingir essas marcas, a empresa segue de olho na concorrência. À imprensa, o CEO da Netflix Reed Hastings deixou claro que a companhia sente o barulho desde a chegada do Disney+ no mundo (e que também começou um 2021 promissor, com a chegada de WandaVision no catálogo), mas possui o compromisso de tornar a Netflix um streaming referência também em conteúdos de animação e produções para a família.

Em um movimento iniciado com Klaus, Netflix pretende apostar no mercado de filmes infantis e para toda a família (Imagem: Divulgação / Netflix)

"É superimpressionante o que a Disney fez", comentou Hastings. O executivo também pontuou que a Netflix está "muito entusiasmada em conquistar [os assinantes] nas animações para família — talvez eventualmente ultrapassando eles [a Disney]. "Temos um longo caminho a percorrer", reconheceu o chefão da Netflix.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

DIA DO SIM, com Jennifer Garner, chegará à Netflix em março (Imagem: Divulgação / Netflix)

A Netflix possui um catálogo recheado com títulos para crianças e para se assistir em família, além de já ter começado a desenvolver seus próprios longa-metragens animados. O primeiro dessa nova divisão foi Klaus — que chegou a ser reconhecido com uma indicação ao Oscar. Em 2020, a plataforma lançou os filmes The Willoughbys e A Caminho da Lua, e na temporada de Natal, teve seus destaques com o novo Uma Invenção de Natal e Crônicas de Natal 2.

Entre os próximos lançamentos anunciados, há 12 novos títulos inéditos voltados para a família, entre eles a comédia Dia do Sim com Jennifer Garner, Brightburn com Krysten Ritter, e a animação musical Back to the Outback, com Isla Fisher entre outros. Recentemente, a empresa também liberou o trailer de Pinóquio, dirigido por Guillermo del Toro.

Netflix debocha do catálogo do Disney+

Durante a tradicional entrevista referente ao trimestre fiscal da Netflix, Hastings ainda fez alguns comentários sobre o catálogo majoritariamente infantil do Disney+. Ao falar do aumento na receita anual consequente da nova marca de assinantes, o co-CEO declarou que a elevação no orçamento de conteúdo será ótimo para uma competição "série por série, filme por filme" com a empresa do Mickey Mouse.

"Manter nossa liderança no entretenimento geral é estimulante", declarou, destacando Bridgerton, a mais recente série produzida por Shonda Rhimes para a plataforma. "Eu não acho que você vai ver [séries como Bridgerton] no Disney+ tão cedo."

Disney+ nunca terá algo como Bridgerton tão cedo, declarou o chefão da Netflix (Imagem: Divulgação/Netflix)

O exemplo utilizado por Hastings se dá pelo fato de a série baseada nos livros de Julia Quinn trazer uma narrativa mais adulta, com cenas de sexo e linguajar mais maduro. A série parece estar à beira de uma renovação e, segundo o DEADLINE, foi assistida por 63 milhões de famílias nos primeiros 28 dias.

Vale lembrar que a Disney não pretende misturar as duas faixas etárias de seu público alvo numa só plataforma, e é por isso que atualmente a empresa trabalha com o lançamento do Disney Star+. Enquanto o Disney+ possui séries e filmes mais voltados para o público infantil, o novo streaming contaria com títulos mais adultos e indicados para maiores de 18 anos, como Logan e Deadpool, além de sucessos como os filmes de Alien e séries como Lost.

O novo serviço deve chegar à América Latina em junho desse ano, mas ainda não teve valores de mensalidade revelados.

Fonte: DEADLINE, CBR

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.