Estagnada nos Estados Unidos, Netflix visa crescer no mercado internacional

Estagnada nos Estados Unidos, Netflix visa crescer no mercado internacional

Por Natalie Rosa | 20 de Fevereiro de 2020 às 21h40

A Netflix já domina o mercado norte-americano de streaming, e não surpreende ninguém. Com a chegada de novos concorrentes a cada ano que passa, a meta agora é conquistar ainda mais o mercado internacional, uma vez que o crescimento em seu país de origem deve se manter estagnado nos próximos anos.

Michael Nathanson, analista de mídia, publicou recentemente as suas previsões para a Netflix, estimando um crescimento na base de assinantes em 10% até 2024, mas graças ao mercado internacional.

Ainda de acordo com as previsões, nos próximos cinco anos, a plataforma de streaming deve conquistar cerca de um milhão de assinantes por ano somente nos Estados Unidos. Apesar de ser uma quantia alta, não se compara ao arrecadado entre 2012 e 2018, que chegava a cinco milhões de novas assinaturas anuais.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Imagem: Reprodução

A redução do crescimento das assinaturas começou entre os anos de 2018 e 2019, quando a Netflix se deparou com uma queda de 55% em adições líquidas, trazendo "apenas" 2.6 milhões de assinantes. A quantidade continua sendo um ponto positivo, mesmo sendo menor, pois é mais de 20% da base de assinantes do HBO Now nos Estados Unidos, por exemplo, e cerca de 10% de toda a base de assinantes do Hulu.

Entendendo que já não há maneiras de expandir nos Estados Unidos, a Netflix visa atingir dois mercados: o internacional que não fala a língua inglesa e o que foca nos dispositivos móveis. Para começar a colocar essa meta em prática, a companha vem testando diferentes valores de assinaturas e aumentar o catálogo global, como quando adquiriu os direitos das produções do Studio Ghibli fora dos Estados Unidos.

Nos últimos anos, a Netflix começou ainda a abrir escritórios no Brasil, Reino Unido, Itália e Alemanha, onde também vem desenvolvendo séries originais. Aqui na América Latina, a plataforma de streaming precisa ficar de olhos abertos se quiser continuar na liderança. O mercado vem se adaptando a cada vez mais às novas formas de consumir conteúdo visual, contando não só com serviços locais, como o Globo Play, como com os internacionais, como o Amazon Prime Video, que está disponível por um preço acessível

Fonte: The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.