Disney+ │ Plano com anúncios pode se limitar a 4 minutos de propaganda por hora

Disney+ │ Plano com anúncios pode se limitar a 4 minutos de propaganda por hora

Por Durval Ramos | Editado por Jones Oliveira | 19 de Maio de 2022 às 10h10
Reprodução/Mika Baumeister, Unplash

Não é segredo para ninguém que o Disney+ planeja lançar um plano de assinatura mais barato com anúncios — e eis que os primeiros detalhes sobre como esse modelo vai funcionar começam a aparecer. De acordo com alguns rumores, a plataforma pretende estabelecer um limite de quatro minutos de propagandas por hora de conteúdo.

De acordo com relatos do The Wall Street Journal e da Variety, a estratégia da empresa é ser o menos invasiva possível, ou seja, trazer uma quantidade considerada mínima de anúncios para não atrapalhar a experiência do usuário. E foi a partir dessa política que os executivos teriam chegado a esse limite de quatro minutos por hora.

Ideia é oferecer serviço mais em conta para atriar novos usuários (Imagem: Reprodução/Marques Kaspbrak, Unplash)

A ideia por trás dessa quantidade reduzida é justamente oferecer um modelo mais amigável para o usuário — e, assim, ofertar um dos planos mais competitivos do mercado. Nos Estados Unidos, a HBO Max já oferece uma categoria de assinatura que também limita um total de quatro anúncios a cada 60 minutos. Já o Peacock limita a cinco por hora, enquanto o Hulu traz 12 minutos de comerciais no mesmo intervalo de tempo.

Além disso, segundo esses relatos iniciais, as propagandas também seriam limitadas para tipos de públicos e de conteúdos específicos. Na prática, isso significa que perfis infantis ou mesmo filmes e animações voltadas para crianças em idade pré-escolar não devem receber qualquer tipo de comercial, independente do tempo assistido. E, mantendo a política da empresa, conteúdos relacionados a álcool, tabaco e outros produtos que não se encaixem na proposta familiar do serviço também não serão aceitos.

Por trás do plano com anúncios

E todo esse interesse por modelo de assinatura tem uma razão bem simples: dinheiro. Embora estejamos falando de um plano mais econômico do que os já existentes na plataforma, o mercado de streamings como um todo já percebeu que ofertar essa opção mais barata é uma forma de atrair novos usuários e, com isso, crescer sua base de assinantes.

Mais do que o conteúdo, empresa viu que o preço também é importante para atrair usuários (Imagem: Reprodução/Disney+)

Isso fica ainda mais claro quando vemos a própria Netflix estuda lançar um plano semelhante e isso ter sido divulgado logo após o anúncio de que a plataforma perdeu assinantes pela primeira vez em uma década. Assim, a Disney parece querer oferecer essa opção antes que seus números também passem a cair.

Além disso, a companhia do Mickey ainda tem um bom exemplo dentro do próprio quintal. O Hulu pertence à Disney e já oferece uma assinatura mais barata baseada em propaganda e, de acordo com os relatórios divulgados pela própria plataforma, o plano já é mais popular do que o modelo sem comerciais. Ao todo, cerca de 70% dos assinantes atuais do streaming optam por pagar menos, mesmo com 12 minutos por hora de anúncios.

Dessa forma, a expectativa da Walt Disney Company é que o Disney+ tenha um percentual semelhante de usuários preferindo sacrificar alguns minutos de conteúdo para economizar alguns trocados a mais no fim do mês.

Fonte: Variety, The Wall Street Journal

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.