Disney+ em números: 22 milhões de instalações e 9 milhões de usuários diários

Por Rafael Arbulu | 16 de Dezembro de 2019 às 13h50

Com pouco mais de quatro semanas de lançamento, o serviço de streaming Disney+ não só vai muito bem, obrigado, como também não dá sinais de desacelerar seu ritmo de crescimento: de acordo com um levantamento da empresa de pesquisa de dados AppTopia, a plataforma de séries e filmes da Disney já conta com o seu aplicativo instalado em 22 milhões de dispositivos móveis e cerca de 9,5 milhões de pessoas acessando seu conteúdo todo dia.

Os números já são impressionantes, mas podem ser ainda maiores: a AppTopia trabalha exclusivamente com análise em dispositivos portáteis — smartphones e tablets — e não leva em consideração, por exemplo, smart TVs ou outra plataformas. Na realidade, um dia após o lançamento, a própria Disney divulgou um press release afirmando que, em 24 horas do serviço ir ao ar, a plataforma Disney+ já contava com mais de 10 milhões de assinantes.

Novas produções de marcas já estabelecidas ajudaram a impulsionar audiência para o Disney+: a série The Mandalorian, baseada na franquia Star Wars, até viralizou um novo meme sobre o "Bebê Yoda", proporcionando maior público

O levantamento não dá um crédito específico a este sucesso, mas se podemos especular, é provável que uma série de fatores tenha contribuído para isso: primeiramente, o catálogo de estreia do Disney+ é bem atraente, contendo materiais da Marvel e da LucasArts (de quem a Disney é dona, ou seja, filmes dos heróis em quadrinhos e a franquia Star Wars), além das icônicas animações da empresa, que foram parte importante da infância de quem é, hoje, usuário pagante.

Outro fator de sucesso é a capacidade da Disney em lançar conteúdos novos em marcas já estabelecidas, como a série The Mandalorian. Finalmente, o preço competitivo do serviço permite que o usuário tenha acesso a tudo isso sem grandes dores no bolso: nos EUA, o Disney+ está disponível em dois formatos — a assinatura mensal, por US$ 6,99 (R$ 28,55) e a assinatura anual, por US$ 69,99 (R$ 285.85). Ainda não se sabem os valores e a data exata de lançamento no Brasil, mas sabe-se que ele chegará por aqui em novembro do ano que vem.

Fonte: BGR

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.