Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Diretores de X-Men ‘97 querem levar mutantes para o MCU

Por| 15 de Abril de 2024 às 15h56

Link copiado!

Marvel Animation
Marvel Animation

Diante do sucesso inquestionável de X-Men ‘97, um certo burburinho surgiu nas redes sociais pedindo para que os diretores da animação fossem os responsáveis por levar os mutantes para o Universo Cinematográfico da Marvel (MCU, na sigla em inglês). E eles comentaram sobre a movimentação dos fãs, obviamente se mostrando muito abertos para a possibilidade.

Em entrevista ao site Screen Rant, Chase Conley e Emi Yonemura destacaram que não há nenhuma conversa formal sobre o assunto e muito dos que eles viram sobre a possibilidade veio justamente dos fãs, que estão muito empolgados com os rumos que o desenho vem tomando. Ainda assim, ambos se mostram muito animados com a simples ideia de serem chamados para comandar o próximo filme dos X-Men.

Continua após a publicidade

“Eu nunca diria não para isso porque eu amo um bom desafio e tentar coisas novas”, pontua Yonemura, que dirigiu quatro dos dez episódios da temporada — inclusive o quinto, considerado o melhor de toda a animação até agora.

E é justamente por causa do capítulo 5, chamado de Lembre-se Disso, que o nome da dupla passou a ser tão pedido pelos fãs do MCU, principalmente aqueles que querem ver algo de diferente dos X-Men nas telas. depois de duas décadas da Fox fazendo um tipo de filme bem específico girando em torno do Wolverine, o desenho mostrou como o time todo rende boas histórias e que há muitos arcos clássicos dos quadrinhos que valorizam isso.

Cinema não é animação

Ao mesmo tempo, Conley e Yonemura sabem que não basta o apoio do público para garantir que um eventual filme dos X-Men funcione bem em suas mãos. Para eles, o sucesso de X-Men ‘97 está justamente no potencial quase infinito que uma animação oferece, algo que é um pouco mais limitado no cinema. 

“Nós podemos fazer coisas que não são possíveis no live action, pois seriam realmente caras”, explica Conley. O caso do episódio 5 é mais uma vez um belo exemplo disso, pois toda a ilha de Genosha, os diferentes tipos de mutantes e os eventos do fim do episódios são coisas que demandariam demais da pós-produção.

Ao mesmo tempo, eles destacam como o que realmente importa nos X-Men é algo que não depende de grandes orçamentos — a relação entre os personagens e, principalmente, seus dramas. “Veja a reação ao episódio 5”, aponta Yonemura. “Veja as emoções que nós evocamos nas pessoas apenas com rostos desenhados. As pessoas se conectam àqueles personagens e não a um ator”.