Ainda Estou Aqui | Conheça o romance que está comovendo os assinantes da Netflix

Ainda Estou Aqui | Conheça o romance que está comovendo os assinantes da Netflix

Por Durval Ramos | Editado por Jones Oliveira | 14 de Abril de 2022 às 17h30
Netflix

Na adolescência, tudo é intenso. O primeiro amor é para sempre, as despedidas são sofridas e as alegrias sempre extremas. E o que acontece quando, nessa fase em que as emoções são tão marcantes, você se vê diante de uma tragédia que leva embora a pessoa que você mais amava?

O novo sucesso da Netflix parte justamente dessa ideia. Ainda Estou Aqui é a mais nova aposta do streaming dentro dos romances teen e que traz a atriz Joey King (A Barraca do Beijo) para viver esse drama com pitadas sobrenaturais.

Sim, mais do que ser uma história sobre perder o seu amor, o novo longa flerta com a ideia de vida após a morte ao mostrar que esse amor é algo que nem mesmo um acidente pode separar, perdurando também no além e conectando dois mundos.

Uma história bastante familiar

Se você tem um pouco mais de idade, certamente já reconheceu a trama. Ainda Estou Aqui é uma espécie de versão adolescente de Ghost: Do Outro Lado da Vida, um dos clássicos dos anos 1990, com pitadas do também melancólico P.S: Eu Te Amo.

Isso porque a história gira em torno de Tessa (King), uma jovem que sempre teve uma vida sofrida em um abrigo para adoção e que, quando finalmente deixa o local para viver sua vida e encontra seu primeiro amor, tem que lidar com a perda mais uma vez. Isso porque sua jovem paixão, Skylar (Kyle Allen) morre repentinamente em um acidente, sem tempo para um adeus.

História é sobre um romance interrompido drasticamente que continua no além-vida (Imagem: Divulgação/Netflix)

Só que não existem limites para o amor e a jovem logo passa a se deparar com estranhos fenômenos paranormais. E não demora para que ela acredite que esses eventos sejam, na verdade, tentativas de seu finado namorado se comunicar do além. Afinal, para os adolescentes, não existe a ideia ainda de “até que a morte nos separe”.

A partir disso, o longa se desenrola em duas narrativas paralelas. De um lado, acompanhamos a dor do luto da garota, que passa por todos os estágios da perda e como ela se apega a essa esperança sobrenatural para manter o seu amor sempre por perto. Por outro lado, acompanhamos as memórias de Tessa sobre o romance que ela viveu até o momento do trágico acidente.

História se desenrola em duas linhas temporais: antes e depois da tragédia (Imagem: Divulgação/Netflix)

Assim, Ainda Estou Aqui se aproveita muito bem dessa intensidade das emoções adolescentes para apostar em uma forte carga emotiva e melodramática para falar de temas que nem sempre são fáceis de digerir, como a dor do luto e o sofrimento de fica para trás em uma história interrompida — assim como a importância das memórias como essa forma de manter alguém vivo.

Baseado em fatos reais

Embora a inspiração em Ghost seja mais do que óbvia, existe uma pitada de caso real por trás do roteiro de Ainda Estou Aqui. O filme é baseado no livro homônimo de Marc Klein, que também ajudou a escrever o roteiro do longa da Netflix.

Klein conta que teve a ideia para a obra a partir de um episódio que ele próprio viveu há pouco mais de 15 anos. Na época, ele também perdeu a namorada em um acidente e passou a viver alguns estranhos fenômenos que imaginou que poderia ser esse amor superando até mesmo o além-vida.

Assim, ele logo começou a trabalhar em um livro a partir dessa ideia. E o conceito foi tão bem aceito que logo virou filme e caiu nas graças da Netflix.

Ainda Estou Aqui está disponível no catálogo da Netflix para você assistir.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.