O que você não deve fazer no LinkedIn, segundo recrutadores e headhunters

Por Ares Saturno | 21 de Fevereiro de 2018 às 14h28
TUDO SOBRE

LinkedIn

O mercado de trabalho no Brasil tem passado por mudanças e está cada vez mais difícil se sobressair durante seleções para vagas. Um mar sem fim de candidatos luta por oportunidades de encontrar a carreira dos sonhos e qualquer pisada na bola pode te deixar mais distante da vaga desejada.

Foi com objetivo de entender o que pega bem e o que é mancada na hora de se candidatar a uma vaga que o especialista Cory Fernandez, do site Fast Company, falou com pessoas que atuaram como recurtas em redes virtuais e quis saber o que eles buscam na hora de avaliar um profissional.

Para evitar que os usuários do LinkedIn cometam as tais vacilos que podem colocar tudo a perder, selecionamos os 10 comportamentos que os recrutadores e headhunters apontam como os principais responsáveis pela temida resposta "nós entraremos contato caso surjam novas vagas".

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

1. Evite compartilhar textos motivacionais

Deixe a autoajuda para o Augusto Cury. Compartilhar textos puramente motivacionais em seu LinkedIn deixa os recrutadores revirando os olhos de preguiça. O que eles aconselham, nesse caso, é que você compartilhe materiais realmente relevantes para o seu campo de atuação. Candidatos que estão sempre atualizados com as novidades do mercado se sobressaem e têm mais chances de conseguir agarrar as vagas.

Segundo Marco Montinari, consultor da Mason Frank International: "lições de auto-ajuda geralmente são enviadas por pessoas que gastam seu tempo dizendo a outras como viver as suas vidas".

2. Permaneça na sua área

Por mais que você ame algum hobby ou tenha um desejo secreto de mudar de área de atuação, não compartilhe textos nas redes que você mantém contatos profissionais sobre outros temas que não os que você utiliza no seu trabalho. Isso passa a impressão de que você é um profissional disperso e dificulta a avaliação pelo recrutador do seu perfil profissional.

Cory Fernandez afirma: "É simples: basta não publicar textos sobre temas que não estejam relacionados à sua área de atuação. Deixe essas publicações para o Twitter e o Facebook".

3. Evite adjetivos e jargões para descrever suas habilidades

Tudo bem que você seja um profissional dinâmico, proativo, apaixonado, focado, experiente, estratégico. Mas, quando procurando uma vaga de emprego, quem não é? Em vez de dar mais informações sobre seu perfil profissional, esses jargões são lugar-comum e acabam fazendo com que você seja tragado para dentro da multidão ao invés de se sobressair. Para promover as suas habilidades profissionais, prefira mostrar seus feitos e interesses de forma mais objetiva e original.

4. Atenção ao networking

Não é bem visto manter um perfil no LinkedIn com inúmeros contatos que você não conhece realmente. Ao contrário do que ocorre nas redes sociais genéricas, nas redes voltadas para profissionais não importa o número de conexões que você faz, mas sim a qualidade desses contatos. Prefira se conectar apenas a pessoas que realmente possam trazer algum benefício no seu campo de atuação.

Diga-me com quem andas e direi se te contrato. (Imagem: teamlewis.com)

Para David Lewis, presidente da consultora OperationsInc, uma dica importante é você manter em seu perfil pessoas que tenham trabalhado previamente em parceira com você e tenham boas coisas a falar a seu respeito. 

5. Informações de contato devem ser sempre atualizadas

Essa deveria ser bem óbvia, mas infelizmente não é. Recrutadores e headhunters têm inúmeras dores de cabeça com telefones que não atendem e e-mails que não são checados. Não precisa nem dizer que isso passa a impressão de desorganização e desinteresse, né?

6. Cheque erros de gramática e digitação

Ao criar um currículo ou redigir um texto no LinkedIn, é comum um errinho de gramática ou de digitação passar, não é mesmo? Pois os responsáveis pela sua contratação têm tolerância zero! Cheque sempre a ortografia, concordância e digitação, pois erros podem informar aos recrutadores que você não é um profissional atencioso e comprometido.

7. Pouca informação sobre experiências anteriores

A parte mais importante para quem irá te avaliar é a experiência prévia que você teve no campo de atuação. Por isso, evite preencher esses campos apenas com informações superficiais, como no nome do cargo e o período em que você prestou esse serviço. Enriqueça as informações com quais eram as suas atribuições, quais foram as ferramentas utilizadas e os projetos desenvolvidos, cite nomes de clientes importantes e não tenha medo de falar sobre os efeitos alcançados com o trabalho prestado.

Conquistas e desafios mostram quem você é profissionalmente. (Foto: iStock)

8. Evite enviar mensagens de áudio

Ao entrar em contato com um recrutador para marcar uma entrevista em aplicativos de conversa instantânea, como o WhatsApp, evite ao máximo o envio de mensagens de áudio. Elas não são nada práticas e exigem que o recrutador tenha um fone de ouvido disponível, podendo inclusive atrasar a comunicação entre vocês, caso ele não possa ouvir prontamente. E, nesse caso, com certeza algum candidato que teve o bom senso de não se comunicar dessa forma passará na sua frente.

9. Mantenha o profissionalismo

Tudo bem que algumas áreas de atuação não exigem grandes formalidades, mas é necessário ficar sempre atento ao tom utilizado para se comunicar com os responsáveis pela sua contratação. Recrutadores, empresários e colegas de trabalho não estão ali para serem seus amigos pessoais, mas sim para realizar uma tarefa profissional. Então não aja com mais intimidade do que o recomendado e muito cuidado com piadas e brincadeiras.

O mesmo pode ser dito sobre fotos disponíveis em perfis: evite expor demais sua vida pessoal e opte por imagens mais profissionais, mesmo que você esteja muito orgulhoso das suas últimas férias na praia.

Ariel Lopez, fundadora e CEO da plataforma voltada para empregabilidade em tecnologia 2020Shift, afirma: "Nós buscamos alguém que possua as habilidades técnicas, mas também alguém que seja uma boa companhia para conviver por 40 horas semanais".

10. Evite ser o Al Capone

Não é bem visto profissionais que estão se candidatando pra diversas vagas em diferentes áreas de atuação, comportamento este que pode ser visto como desesperado e passa a impressão que você está atirando para todos os lados. Saiba das suas competências, como elas se encaixam no mercado e tenha um plano nítido sobre aquilo que você quer para sua vida profissional. 

"Quando uma empresa decide contratar você, eles estão corrigindo um problema. Você está preenchendo um vazio", explica Ariel Lopez, do 2020Shift. Segundo ela, carreiras são construídas coletivamente, cada um cumprindo seu papel. Justamente por isso, é importante que cada profissional saiba o que é esperado de sua atuação e o que ele tem a oferecer ao mercado.

Fonte: Fast Company

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.