Dona da Sadia e Perdigão investe R$ 1,1 bi em parque de energia solar

Dona da Sadia e Perdigão investe R$ 1,1 bi em parque de energia solar

Por Márcio Padrão | Editado por Claudio Yuge | 17 de Setembro de 2021 às 17h20
Reprodução/Nuno Marques/Unsplash

A BRF, multinacional de alimentos dona das marcas Sadia e Perdigão, e a empresa brasileira de energia limpa Pontoon construirão juntas um parque de energia solar nas cidades de Mauriti e Milagres, no Ceará. A iniciativa — importante em um momento que o fantasma do apagão volta a assombrar o país — está orçada em R$ 1,1 bilhão, mas segundo estimativas, dentro de 15 anos o projeto economizará R$ 1,7 bilhão com despesas de eletricidade.

Segundo reportagem de O Globo, o parque terá uma capacidade instalada de 320 megawatts, produzidas por 600 mil painéis solares em uma área de 1.170 hectares. As empresas avaliam que a energia gerada em um ano será capaz de abastecer 500 mil residências. Outro objetivo é reduzir gases causadores do Efeito Estufa.

A energia gerada deve ser distribuída às unidades da BRF na região Sul do país. As obras têm previsão de início para o ano que vem e serem encerradas até o final de 2023, com o começo das operações em 2024.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Imagem: Reprodução/elxeneize/Envato

"Com a operação deste complexo solar e do parque eólico construído em parceria com a AES Brasil, será possível garantir a autoprodução de energia necessária para atender dois terços das necessidades de nossas unidades no Brasil, oferecendo energia limpa a custos mais competitivos", disse em evento online Vinicius Barbosa, vice-presidente de operações e suprimentos da BRF.

A BRF recentemente anunciou uma joint venture (parceria corporativa de investimento em conjunto) com a empresa AES Brasil para autoprodução de energia eólica no Complexo Cajuína, no Rio Grande do Norte. O projeto teve injeção de R$ 130 milhões. A ideia da companhia de alimentos é contar com 88% de eletricidade proveniente de fontes limpas e renováveis até 2030.

Fonte: O Globo

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.