E3 2021 | Os anúncios mais importantes da PC Gaming Show

E3 2021 | Os anúncios mais importantes da PC Gaming Show

Por Felipe Demartini | Editado por Jones Oliveira | 14 de Junho de 2021 às 10h40
Divulgação

A PC Gaming Show aconteceu neste domingo (13) com sua tradicional enxurrada de títulos, novos trailers e anúncios de jogos. Indo dos indies experimentais aos games AA, a conferência apresentou quase 40 títulos em aproximadamente 90 minutos, o que se reflete em uma lista enorme e, em alguns casos, atordoante, principalmente por fazer parte de um dia em que mais de 100 jogos foram mostrados em diferentes apresentações.

Promovida pela revista americana PC Gamer, a apresentação também contou com a presença de Gabe Newell, da Valve, para falar sobre o Steam Next Fest. O evento digital, que acontece nesta semana, traz uma série de demos dos jogos apresentados na E3 2021 para serem experimentados pelos jogadores em casa, em uma iniciativa que também será realizada a partir desta terça-feira (15) pela Nintendo.

Apresentada por Sean Plott, Frankie Ward e Mica Burton, a PC Gaming Show 2021 ainda veio colada na Future Games Show, promovida pela mesma editora, chegando facilmente à marca dos mais de 50 jogos anunciados em cerca de três horas de apresentação. Caso você esteja de olho em novas ideias interessantes para jogar em breve no seu computador, o Canaltech seleciona aqui alguns dos principais anúncios do evento:

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

10. Orcs Must Die 3

Uma das franquias mais tradicionais do universo dos tower defenses retorna, mais uma vez, durante uma PC Gaming Show. E, como tantas outras propostas apresentadas no evento, ela deve estar disponível bem em breve, permitindo que, mais uma vez, os jogadores representem a resistência humana contra o avanço interminável dos Orcs.

Retornam as armadilhas que adicionam um tom de estratégia e, também, a jogabilidade em terceira pessoa, com o jogador não apenas dificultando o caminho dos inimigos como, também, agindo diretamente contra eles. Mas a Robot Entertainment expandiu a escala do novo game, falando em mapas gigantes e com centenas de oponentes atacando de uma só vez, transformando as batalhas em grandes confrontos campais.

Orcs Must Die 3 chega em 23 de julho. Além do PC e do Stadia, onde já está disponível, o título também será lançado para PS4, Xbox One e Xbox Series X|S.

9. Next Space Rebels

Eu, particularmente, tenho uma queda por jogos que trazem cenas de corte com atores de verdade — provavelmente uma herança dos tempos em que a medida de qualidade de um jogo era se parecer com um filme. Entretanto, o que chama a atenção no novo game do estúdio Floris Kaayk, além do selo Humble Games, é a aparente democratização da corrida espacial, do seu quintal para o mundo.

Os rebeldes do título são pessoas comuns, que usam sucata e softwares para criar foguetes caseiros. Os voos são transmitidos pela internet e, ao que parece, a monetização e o engajamento online ajudam a alçar voos ainda maiores, em mais de um sentido. O objetivo final, claro, são as estrelas. Em meio a tudo isso, estão elementos de simulação que nos lembram uma versão mais humilde de Kerbal Space Program.

Next Space Rebels chega ainda neste ano ao PC.

8. Dodgeball Academia

Os gráficos coloridos e as partidas cheia de personalidade e poderes especiais trazem novos ares para um esporte que, pouco a pouco, começa a se tornar uma coqueluche dos games. Das quadras das escolas de ensino fundamental para os consoles e computadores, o título brasileiro foi um dos destaques da PC Gaming Show e basta ver o trailer acima para entender o motivo.

Obra dos nossos conterrâneos da Pocket Trap, também responsáveis por Ninjin, o game tem ares animados e um toque de exploração enquanto montamos times e estudamos em uma escola de queimada, que forma os melhores atletas da modalidade. Ao longo do caminho, lideramos com as rivalidades, os bullies e as alegrias de um esporte que, nessa versão virtual, permite lançar bolas de fogo nos oponentes. E isso, sempre, é algo que chama a atenção.

Dodgeball Academia chega ainda neste ano e, além dos PCs, terá versões Xbox One, Nintendo Switch e PlayStation 4.

7. SacriFire

Um RPG de teor clássico, com gráficos em pixel art e batalhas mostradas bem de perto, mas com toques modernos nos visuais e na pegada. Essa é a ideia do novo game da Pixelated Milk, que deseja unir tradição e novidade com trilha sonora de Motoi Sakuraba, responsável por faixas clássicas de séries como Dark Souls, Tales Of e Star Ocean.

Aqui, ele se volta ao mundo independente para apresentar um jogo com batalhas em turnos e mundo gigantesco. As influências de Xenogears e Vagrant Story são as mais fortes nessa abordagem moderna dos RPGs antigos, com sistema de decisões e personagens com muita história para contar, enquanto o protagonista se envolve em um mundo de fantasia, ficção científica e combates que mudarão o destino desse universo.

SacriFire está em campanha de financiamento coletivo pelo Kickstarter. Caso obtenha a meta, a previsão é de um lançamento no ano que vem para PC e consoles.

6. Death Trash

Já que estamos falando de elementos e referências clássicas, aqui nos voltamos à subversividade de games de terror do passado do PC, que faziam uso de gráficos simples e pixelados para entregar um aspecto “sujo” que combinava perfeitamente com o ensejo apocalíptico e devastado de suas histórias. É, justamente, o que o “estúdio de uma pessoa só”, a Crafting Legends, quer fazer aqui.

Bestas alienígenas atacaram a Terra e conseguiram sua vitória, entretanto, ainda encontram resistência pelas mãos do que a própria produtora chama de “punks com escopetas”, e realmente não há definição melhor. Misturando toques de RPG com uma jogabilidade de ação isométrica, o jogador explora esse mundo encontrando personagens peculiares e enfrentando oponentes ora de tamanho comum, ora gigantes, descobrindo mais detalhes sobre o que aconteceu e, principalmente, o caminho da salvação.

Death Trash chega ao PC no dia 5 de agosto, em acesso antecipado e após cinco anos de desenvolvimento.

5. Gigabash

Quem não gosta de robôs e monstros gigantes tem um coração mais peludo e que bate com menos amore que os demais. E foi uma grata surpresa ver um game desse estilo aparecendo durante a PC Gaming Show, trazendo um toque de arcade e gráficos coloridos a um estilo que nos remete diretamente a um passado em que tudo parecia mais simples.

O game da desenvolvedora Passion Republic, da Malásia, reúne monstros, robôs gigantes e também seres humanoides de tamanho avantajado em combates que levam destruição a grandes cidades com a premissa de salvar o mundo. A jogatina para até quatro jogadores envolve poderes, um toque de Super Smash Bros. e até navios cargueiros sendo lançados sobre os oponentes, enquanto o próprio cenário vai mudando, seja para aproximar os jogadores ou criar ameaças ambientais.

Gigabash ainda não tem data de lançamento marcada, mas está sendo desenvolvido para PC e consoles.

4. Project Warlock 2

Como toda boa PC Gaming Show, não poderiam faltar os games que dialogam diretamente com o passado profundo dos jogos para computador, em uma época na qual eles eram a casa dos shooters. O game de 2018 mostrou que mecânicas e visuais do passado ainda são insanamente divertidos, e agora, estamos prestes a ganhar uma sequência.

Armas, monstros e violência extrema se unem a um jogo de armas interessante, no qual o peso dos equipamentos é sentido, enquanto a verticalidade dos cenários esconde segredos e itens especiais. Além disso, nessa continuação, a ideia é continuar investindo no formato episódico, de forma que as vendas de um capítulo, assim como a campanha de financiamento coletivo, ajudem a financiar a temporada completa de conteúdo, com três partes, seis fases gigantes e diferentes protagonistas, que se conectam à história do primeiro game mas também abrem as portas para quem está chegando agora,

Project Warlock 2 chega em 29 de julho ao PC, em acesso antecipado.

3. Ixion

Definido pelos desenvolvedores da Kasedo Games como uma ópera espacial misturada com simulação, este parece ser um game cheio de ambição, contando uma história que extrapola nossa realidade atual. A destruição do meio-ambiente, que presenciamos hoje, chegou a níveis extremos e, agora, o espaço, mais do que ser a fronteira final, é também a última esperança de sobrevivência da humanidade.

É por meio do discurso ambicioso do CEO de uma corporação de exploração espacial que conhecemos este game, que será focado no gerenciamento de bases fora da Terra, exploração de recursos naturais e administração de assentamentos. Entretanto, não será tão simples e, claro, o próprio conceito já mostra que algo deu muito, muito errado.

Ixion chega em 2022 aos PCs.

2. Silt

Com ares de Limbo e uma jogabilidade aquática, mas aparentemente sem o teor desgraçante que fases desse tipo costumam trazer, o game da Spiral Circus se foca em puzzles e transferências de consciência. Controlamos de tudo, desde mergulhadores até peixes enquanto exploramos o mar profundo e conhecemos um mundo bem diferente, muito abaixo de nós.

Os gráficos em preto e branco permitem brincadeiras com contraste em um trailer que mostra que, sob as águas, existem mais segredos do que poderíamos imaginar. Os visuais são desenhados à mão, enquanto os enigmas ambientais prometem ir além do óbvio, em um título contemplativo que merece figurar na sua lista.

Silt deve chegar ao PC no início do ano que vem.

1. They Always Run

Um dos games que abriram a PC Gaming Show 2021 também é um dos mais interessantes do evento. Os visuais nos lembraram rapidamente de títulos de ação para o bom e velho Mega Drive, enquanto o combate com tons modernos se une aos gráficos igualmente definidos, em um game de ação 2D desenvolvido pela Alawar Premium, do interessante Beholder.

No título que se define como um faroeste futurista, controlamos Aidan, um matador mutante que está em busca dos criminosos mais procurados da galáxia e de olho na recompensa pela cabeça deles. Antes dos chefões, claro, ele precisa enfrentar os capangas, usando lâminas, pistolas e os próprios cenários cheios de verticalidade em favor próprio.

They Always Run tem lançamento marcado para este ano, nos PCs.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.