Trump diz que Amazon está prejudicando varejistas tradicionais

Por Redação | 16 de Agosto de 2017 às 11h23

O presidente americano Donald Trump voltou a mirar a Amazon em uma nova série de mensagens publicadas no Twitter nesta quarta-feira (16). Em seu microblog, ele afirma que a empresa de comércio eletrônico está prejudicando os varejistas “pagadores de impostos”, com as cidades e estados sofrendo o ônus disso tudo.

Trump disse que “muitos empregos” estão sendo perdidos por causa do e-commerce. Ele não citou números nem foi além em seus comentários, voltando suas atenções, logo em seguida, para as eleições primárias no estado do Alabama, considerada mais um teste político para o governo em uma região tradicionalmente conservadora e dominada pelo partido republicano.

Não é a primeira vez que a Amazon e seu fundador, Jeff Bezos, se tornam alvo de Trump. Desde a campanha presidencial, no ano passado, os dois estiveram em conflito verbal via internet, algo que continuou mesmo depois que o presidente foi eleito. Além de CEO do e-commerce, o bilionário também é dono do jornal The Washington Post, que não coincidentemente se tornou um dos principais veículos de oposição ao governo.

O jornal, inclusive, voltou à carga nesta semana, colocando Trump como um forte aliado dos movimentos de extrema-direita que realizaram protestos na cidade de Charlottesville no último fim de semana. O Washington Post criticou a postura do presidente, considerada branda e inconsistente, algo inaceitável diante da exibição de símbolos do nazismo e da violência exibidas no local.

O comentário de Trump, possivelmente, é uma resposta a tais alegações. Não foi o caso desta vez, mas o presidente americano já citou, por diversas vezes, o fato de Bezos ser o nome por trás da operação do Washington Post, ironizando a atualização da Amazon como comércio eletrônico e associando isso às posições do periódico.

As coisas podem ficar ainda piores enquanto a gigante se prepara para concluir a aquisição da rede de mercados Whole Foods, um negócio no valor de US$ 13,7 bilhões. A compra ainda depende de aprovação governamental e já há quem diga que as autoridades vão tentar barrar o processo nos termos atuais, obrigando a Amazon a apresentar mais documentos ou mudar o processo.

Além disso, deve-se levar em conta o fato de que as palavras de Trump efetivamente ecoam junto a apoiadores do setor de varejo. O alto número de pedidos de falência e fechamento de filiais foi uma das plataformas do presidente durante sua campanha, com ele alegando que o afrouxamento das regras com relação ao comércio eletrônico está implodindo os setores tradicionais.

Para combater isso, a Amazon tem intensificado seu trabalho junto a pequenos varejistas, por meio de seu marketplace, e incentivando a criação de postos presenciais de trabalho, seja pela abertura de novos negócios ou pela expansão dos já existentes. A empresa não se pronunciou sobre as novas declarações de Trump.

Fonte: Donald Trump (Twitter)