Amazon apresenta drone elétrico que será usado para entregas 1 dia após a compra

Por Thaís Augusto | 06 de Junho de 2019 às 20h10
Divulgação / Amazon
Tudo sobre

Amazon

Saiba tudo sobre Amazon

Ver mais

A Amazon está tentando acelerar a entrega de produtos aos clientes do Prime. Na quarta-feira (5) durante a conferência re:MARS, a companhia apresentou o seu novo drone elétrico de entregas que deve começar a ser usado "dentro de alguns meses".

Nesta semana, a Amazon anunciou que passará a entregar 10 milhões de itens do Walmart e Target até um dia depois da data de compra para consumidores dos Estados Unidos. Em comunicado, a empresa diz acreditar que os drones autônomos podem ajudar a reduzir o tempo de envio.

Jeff Wilke, CEO da divisão mundial de consumo da empresa, revelou no palco da re:MARS que o novo drone da Amazon pode transportar pacotes com menos de 2,2 kg dentro de 30 minutos. Ainda de acordo com Wilke, o drone pode voar a até 24 km por hora.

Ele também explicou que a empresa está investindo pesadamente em inteligência artificial para ajudar drones a navegar com segurança para seus destinos e entregar pacotes. Wilke conta que detectar fios telefônicos, pessoas, propriedades e até mesmo pequenos animais no solo exige um cuidadoso sistema de prevenção e colisão.

No mesmo evento, o vice-presidente da Amazon Robotics, Brad Porter, contou que a Amazon está usando os robôs Pegasus e Xanthus para classificar e mover pacotes e estoque dentro de armazéns e centros de entrega da varejista. Os executivos disseram que, desde 2012, a Amazon implantou mais de 200 mil unidades de drives robóticos em suas operações, criando cerca de 300 mil empregos no período.

Jeff Wilke, da Amazon, durante conferência re:MARS (Foto: Divulgação)

"Classificamos bilhões de pacotes por ano. A questão é, como você faz isso de forma rápida e precisa? Dada a quantidade de entregas que a Amazon precisa fazer em um dia, a precisão equivale a cumprir promessas aos clientes", afirmou Porter durante o evento. Ele completou dizendo que os novos robôs Pegasus reduziram erros na separação de pacotes em mais de 50% na comparação com os sistemas que a Amazon usava antes.

O drone elétrico também faz parte do plano da Amazon para que metade de suas remessas emitam zero carbono até 2030. A expectativa é expandir o compromisso a todas as entregas da companhia. "O drone elétrico pode ser carregado de forma sustentável e é mais eficiente em termos energéticos que a entrega de pacotes em um carro", afirmou a empresa.

Drones de entrega

No mês passado, a Wing, startup de propriedade da Alphabet, anunciou que daria início ao serviço de entregas com drones em Helsinque, na Finlândia. De acordo com a empresa, os drones buscarão produtos em duas parceiras da região: o supermercado gourmet Herkku Food Market e o restaurante Cafe Monami.

O drone da Wing consegue transportar itens de até 1,49 kg e a distância entre os locais não pode ultrapassar 9km. A startup disse que a densidade populacional de Vuosaari "o torna um ótimo lugar para lançar nosso primeiro serviço para comunidades habitacionais". O bairro conta com mais de 35 mil moradores, o mais populoso de Helsinque.

A expansão para Helsinque marca o primeiro lançamento europeu da Wing. No mês passado, a startup lançou seu serviço de entrega de drones comerciais na Austrália. Atualmente, são atendidas cerca de 100 casas nos subúrbios de Crace, Franklin e Palmerston, onde os drones da Wing completaram 70 mil voos e 3 mil entregas.

Enquanto isso, a Wing conseguiu em abril uma licença da Administração Federal de Aviação (FAA, na sigla em inglês) para fazer entregas comerciais nos Estados Unidos. Dentro de alguns meses, a operação dos drones será realizada nas cidades de Blacksburg e Christiansburg, na Virgínia.

Fonte: CNBC

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.