Minority Report: software para prever crimes está sendo testado nos EUA

Por Redação | 11.01.2013 às 14:00

Um software para previsão de crimes que está já está sendo usado em Maryland e Pensilvânia, Estados Unidos, em breve será testado em Washington, capital do país. Mas o sistema não tem nada de mirabolante como os precogs, do filme Minority Report.

Desevolvido por Richard Berk, criminologista da Universidade da Pensilvânia, o sistema promete reduzir a taxa de homicídios por prever quais presos prestes a receber liberdade condicional são propensos a cometer assassinatos e, portanto, devem receber supervisão mais rigorosa.

Segundo o Wired, Berk afirma que o software (cujo nome não foi citado na reportagem) irá diminuir os índices de assassinatos e outros crimes, e poderá ajudar a Justiça a definir sentenças.

Para criar o software, os pesquisadores da Universidade reuniram dados de mais de 60 mil crimes (inclusive homicídios). Em seguida, desenvolveram um algoritmo para encontrar quais destes criminosos podiam cometer crimes ou pudessem fazer vítimas quando tivessem a liberdade condicional decretada. Segundo Richard Berk, o algoritmo conseguiu detectar oito futuros assassinos em cada 100.

O software analisou cerca de vinte tipos de variáveis, incluindo registo criminal, proximidade geográfica com as possíveis vítimas, tipo de crime e idade dos criminosos ao cometer o homicídio. Ainda que já esteja sendo usado em dois estados do país, não foi mencionado o desempenho do sistema em situações reais.

Entretanto, o professor de justiça criminal da Universidade Estadual de Nova York, Shawn Bushway, declarou que os defensores dos direiros dos presidiários poderão contestar a Justiça caso o método cause alguma desvantagem aos presos, principalmente porque os resultados falsos-positivos são possíveis.