Como sobreviver a um apocalipse zumbi

Por Redação | 19 de Outubro de 2013 às 21h10

Talvez você tenha muitas preocupações na cabeça agora. Contas a pagar, faculdade, emprego, filhos. Para tudo isso, você tem ferramentas para se preparar e enfrentar a rotina diária. Mas e se acontecesse amanhã um apocalipse zumbi? Você estaria preparado?

Em um exercício de imaginação, o site LiveScience pediu que dois cientistas pensassem nas melhores maneiras de sobreviver a um ataque de zumbis. Assim, o neurocientista da Universidade da Califórnia, Bradley Voytek, e o matemático da Universidade de Ottawa (Canadá), Richard Smith? – ele gosta que se use o ponto de interrogação após seu sobrenome – estabeleceram algumas diretrizes.

Estabelecer um local

Voytek diz que o primeiro passo é escolher um bom local de isolamento. Uma boa ideia é que qualquer pessoa que entre em um local seguro passe ao menos dos dias isolada do resto do grupo, para se certificar que não há nenhum problema de saúde.

Um bom local seria algum isolado por água, como uma pequena ilha ou mesmo um iate, já que zumbis não se dão muito bem com água.

Já para Smith?, o melhor lugar do mundo talvez fosse a Austrália, já que são necessárias 24 horas para se chegar ao país de praticamente qualquer lugar do mundo. Isso, claro, desde que o "apocalipse" não se inicie por lá.

Se, por exemplo, um zumbi estiver dentro de um avião se dirigindo para a Austrália, também é provável que, ou alguém o mate, ou ele acabe contaminando todos os passageiros antes do voo chegar no país, o que significa que o avião provavelmente irá cair antes de chegar até lá.

Apesar de não ser citada pelos cientistas, além dessas vantagens, a Austrália também possui um riquíssimo ecossistema com grande biodiversidade de fauna e flora, além de muitas comunidades auto-sustentáveis e é o país com o maior número de permacultores do mundo. Embora a maior parte da Austrália seja semiárida ou desértica, é considerada um país megadiverso, com uma variada gama de habitats, de charnecas alpinas a florestas tropicais. Isso significa que é um excelente local para plantar e produzir alimentos sem muita dificuldade.

Roupas

O melhor é que se usem botas, perneiras e jaquetas de couro, materiais que dificilmente se romperiam em uma mordida de um zumbi, segundo Voytek.

Outra boa ideia seria ter alguma proteção para os ombros e pescoço, que ficam na altura próxima à boca dos zumbis e, a julgar pelos filmes, é onde os zumbis mais gostam de morder.

Não tente matá-los um a um

Os cientistas também dizem que não seria muito sábio tentar lutar contra zumbis de forma individual. Não é muito efetivo, já que eles provavelmente vão se espalhar mais rápido do que você conseguirá matá-los, mas também porque a maioria das pessoas não é muito boa de luta. O ideal é juntar forças com outras pessoas e conseguir recursos e conhecimento contra esses zumbis.

Tenha um Kit de Sobreviênvia

Sim, já existem Kits de sobrevivência para um apocalipse zumbi a venda, como este aqui. O kit traz faixas amarelas, para você avisar às pessoas que existem zumbis naquela área. Vale também ter um copo dobrável para você carregar no bolso, folhas de papel, analgésico, bandagem, álcool, pomada antibiótica, linha, anzol, papel, lápis, lâmina de barbear, saquinho de chá, saco impermeável, apito e um clipe de arame – você nunca sabe quando vai precisar de um clipe de arame.

Faça um curso online

A Universidade de Irvine, na Califórnia, criou um curso chamado "Society, Science, Survival: Lessons from AMC's The Walking Dead" (Sociedade, Ciência e Sobrevivência: Lições da série da AMC, The Walking Dead).

O curso é online e gratuito e baseia-se na série The Walking Dead, que vem fazendo muito sucesso nos Estados Unidos e também no Brasil. O curso explica como a matemática deve ser usada em situações extremas e para sobrevivência.

Pois bem, com todas essas dicas, você talvez tenha alguma chance de sobreviver um pouco mais de tempo em um apocalipse zumbi. Esteja preparado!

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.