Minerador de Bitcoin ganha R$ 1,5 mi ao encontrar sozinho bloco da criptomoeda

Minerador de Bitcoin ganha R$ 1,5 mi ao encontrar sozinho bloco da criptomoeda

Por Dácio Castelo Branco | Editado por Claudio Yuge | 12 de Janeiro de 2022 às 22h20
Divulgação/3D Animation Production Company/Pixabay

O processo de mineração de Bitcoin geralmente demanda muita dedicação para transformar qualquer usuário em um milionário. Mas, em certos casos, alguém pode dar sorte e descobrir um bloco inteiro inédito de criptomoedas — como ocorreu com um minerador recentemente.

O mais curioso da situação é que o minerador em questão contava com uma máquina com baixa taxa de hash comparado a outras presentes na blockchain. Taxa de hash é a medida usada para identificar quantos problemas da blockchain um computador consegue resolver em 1 segundo com seu poder computacional.

Para melhor entendimento, a maioria dos mineradores de Bitcoin na atualidade utilizam máquinas com taxas de hash entre 1 e 5 EH/s — números quase 10 mil vezes os 126 TH/s de capacidade do usuário sortudo.

Como resultado da descoberta do novo bloco, o minerador recebeu 6,25 BTC de recompensa, mais 0,1 BTC pelas transações confirmadas durante sua mineração, totalizando um valor aproximado de R$ 1,5 milhão na conversão atual.

Chances baixas de achar blocos de Bitcoin

Descobrir novos blocos vai ficando mais complicado com o passar do tempo. (Imagem: Divulgação/Pete Linforth/Pixabay)

Pessoas que se empolgarem com o ocorrido com esse minerador tem que ter ciência das chances da descoberta de um bloco desse ocorrer diariamente que, segundo o especialista Con Kolivas, são de 10 mil por dia com uma taxa de hash próxima de 126 TH/s.

Essa probabilidade se dá pela dificuldade em encontrar hash válidos durante a mineração, que podem ser transmitidos para a rede e utilizados em transações futuras. No caso, quanto maior a taxa de hash, mais chances por segundo de identificar uma situação desse tipo.

Além disso, quanto mais tempo passa desde o lançamento do Bitcoin e mais pessoas começam a tentar minerar o ativo digital, mais difícil a descoberta de novos blocos válidos vai se tornando, já que se trata de algo finito e com um limite estabelecido desde o começo — e que, segundo estimativas, em dezembro de 2021 já havia sido esgotado em 90%.

Fonte: CoinTimes, Academy Bit2Me

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.