Facebook finalmente deve lançar sua criptomoeda Libra em 2021

Por Ramon de Souza | 27 de Novembro de 2020 às 23h00
coindesk

Você se lembra do Libra, o ambicioso projeto de criptomoeda que ficou conhecido sobretudo por ter o Facebook como um dos membros fundadores? A iniciativa surgiu repentinamente em junho de 2019 prometendo revolucionar o sistema financeiro global ao bancarizar todos os cidadãos e criar um ativo criptográfico estável com lastro em diversas moedas correntes (dólar, euro, libra esterlina, franco suíço e iene, dentre outras).

Porém, as promessas logo foram por água abaixo após órgãos reguladores do mundo inteiro decidirem barrar o projeto. Acontece que muita gente ficou preocupada com essa ideia de criar uma “moeda global” que, para piorar tudo, seria gerenciada por um consórcio de empresas privadas (muitas delas, como a própria companhia de Mark Zuckerberg, acusadas de violar frequentemente a privacidade dos usuários).

No fim das contas, a Libra caiu no esquecimento — mas, agora, segundo informações do The Financial Times, a criptomoeda finalmente será lançada nos primeiros meses de 2021. Porém, esqueça todo aquele projeto ambicioso que nos fora apresentado: por conta dos embates legais, o projeto se tornou bem mais “simples”, tendo lastro apenas no dólar e funcionando como qualquer outro ativo criptográfico tradicional.

O lançamento depende sobretudo da aprovação final da Autoridade Supervisora do Mercado Financeiro da Suíça (Swiss Financial Market Supervisory Authority ou FINMA), já que a The Libra Association (associação que ficará responsável por gerenciar a criptomoeda) é sediada em tal país. Fazem parte do consórcio nomes como PayU, Lyft, Spotify, Uber, Shopify e Coinbase.

Claro, a ideia contava com apoiadores de maior peso em seus primeiros nomes — ao perceberem as dificuldades que a Libra enfrentaria no meio regulatório, membros como a MasterCard, a Visa, o PayPal, o eBay, o Stripe e a operadora Vodafone abandonaram o barco.

Além do projeto em si ter sido simplificado, vale observar que, falando especificamente do Facebook, a rede social terá que receber uma autorização individual de cada um dos 50 estados dos EUA para lançar a Novi, sua carteira de criptomoedas projetada por uma subsidiária homônima. Anteriormente, tal aplicativo se chamava Calibra, mas a companhia optou por uma reformulação da marca para adotar um nome mais “moderno”.

Fonte: TechRadar

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.