Bitcoin despenca 18% após novos rumores de banimento

Por Redação | 16 de Janeiro de 2018 às 10h06

Esta terça-feira (16), mais uma vez, trouxe dores de cabeça para investidores e apoiadores das bitcoins, com uma queda de mais de 18% no valor das moedas logo nas primeiras horas do dia. O motivo, mais uma vez, é o medo de proibições, com mais comentários de autoridades da Coreia do Sul sobre essa possibilidade, que agora, também ecoou na China e levou ao temor de que mais nações adotem medidas restritivas com relação às negociações.

No momento em que essa reportagem é escrita, as bitcoins operam a US$ 12.070 a unidade, uma queda de 11,1% em seu valor. Entretanto, as moedas chegaram a cair 18% no início da manhã, o que levou consigo boa parte das cotações de outras moedas. A Ethereum, por exemplo, chegou a ter baixa de 23%, enquanto a situação foi ainda pior para a Ripple, com 33% de retração.

O movimento negativo veio depois de novos comentários do ministro da economia da Coreia do Sul, Kim Dong-yeon, que, em entrevista a uma estação de rádio local, afirmou que o governo já está trabalhando em medidas para conter a “irracionalidade” motivada pelas criptomoedas. Os comentários seguem declarações de outras autoridades do país, que, na última semana, também falaram em medidas restritivas quanto ao investimento e negociações com a modalidade financeira. Na ocasião, a queda foi de cerca de 20%.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

As declarações também ecoaram na China, ajudando a aprofundar ainda mais os temores em relação a um banimento. No país asiático, rumores apontam para um bloqueio no acesso a plataformas internacionais de criptomoedas, principalmente aquelas que trabalham de maneira centralizada. É um segundo passo de uma iniciativa do governo, já em andamento, que resultou, no ano passado, no banimento de operações locais de câmbio e também das ofertas iniciais de moedas, além de um maior controle sobre mineradores.

São notícias bastante negativas, pois estamos falando de mercados nos quais a utilização das bitcoins e outras modalidades do tipo crescem cada vez mais. Na Coreia do Sul, por exemplo, são registrados grandes volumes de negociações, com direito a, até mesmo, valores mais altos pela unidade em relação ao que ela vale no restante do mundo. A notícia de restrições e banimentos aumenta o risco e, com isso, a fuga de investidores.

Com as sucessivas quedas motivadas pela situação incerta na Ásia, a bitcoin acumula perdas que se aproximam da casa dos 40%. Em dezembro, a moeda criptografada chegou a valer quase US$ 20 mil, ultrapassando esse valor na Coreia do Sul, mas desde então já perdeu mais de US$ 130 bilhões em valor total de mercado por conta dos temores de investidores.

A expectativa, por outro lado, é de recuperação na medida em que bancos de investimentos reconhecidos e também órgãos internacionais comecem operações com a modalidade. Em dezembro, a bolsa de futuros de Chicago lançou operações com as moedas, enquanto nomes como Goldman Sachs já orientam alguns de seus clientes, adeptos de opções de risco, a investirem nas bitcoins.

Fonte: Reuters

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.