Bitcoins têm queda de quase 20% após possível banimento na Coreia do Sul

Por Redação | 11 de Janeiro de 2018 às 11h43
photo_camera público

O mercado de bitcoins começou esta quinta-feira (11) com novas quedas após a divulgação de um provável bloqueio das operações de câmbio na Coreia do Sul, um dos maiores expoentes da categoria em todo o mundo. O movimento de queda chegou a 20%, levando o preço das moedas virtuais dos US$ 14,9 mil para US$ 12,8 mil em questão de horas.

Os temores com relação ao banimento vieram após os comentários do ministro da justiça sul-coreano, Park Sang-ki, à imprensa. Em coletiva, ele disse que o governo já está preparando um projeto de lei para proibir a operação de câmbios domésticos, principalmente após uma grande operação policial contra a evasão fiscal e lavagem de dinheiro, também realizada nesta quinta.

Na ação, sedes de câmbios de bitcoins e outras moedas virtuais foram invadidas pela polícia para apreensão de documentos, computadores e outros equipamentos. A suspeita das autoridades é de que uma moeda não regulamentada estaria sendo usada para sonegação de impostos e validação de dinheiro obtido por meio de fontes ilegais, o que levou o governo a não apenas investigar os crimes, mas estudar uma forma de impedir completamente a realização deles.

A notícia levou a uma grande movimentação de venda nos mercados mundiais. Além das bitcoins, praticamente todas as principais criptomoedas apresentaram retração – a Ethereum, por exemplo, tem baixa de 9,4%, enquanto a Ripple opera com queda de 11% e a Cardano, com redução de 5,9% no valor.

Bitcoins apresentaram queda de mais de 20% na madrugada desta quinta (11)

A baixa vertiginosa aconteceu durante a madrugada, no Brasil, mas em pleno horário comercial sul-coreano, o que tornou a movimentação ainda mais intensa. Três horas depois do surto, porém, as Bitcoins voltaram a subir, apresentando, no momento em que essa reportagem é escrita, uma estabilidade um pouco maior na casa dos US$ 13 mil e operações em baixa de 9,4%.

Apesar do movimento acelerado atual, fruto de temores relacionados às operações com bitcoins e outras moedas na Coreia do Sul, pode levar anos até que um possível banimento seja sancionado. De acordo com as leis locais, projetos de lei precisam passar por todo um trâmite até se tornarem realidade, exigindo, entre outras coisas, votos majoritários na assembleia e novas análises por parte de órgãos governamentais e autoridades regulatórias.

A situação se torna ainda mais complicada quando se leva em conta a já tão citada demanda oriunda da Coreia do Sul. Enquanto investidores renomados do país entraram com tudo nesse barco, principalmente depois da gigantesca valorização vista ao longo do ano passado, cidadãos comuns também parecem estar cada vez mais adeptos da tecnologia, no que as autoridades chegaram a comparar até mesmo com o vício em jogos de azar. Enquanto isso, os valores das bitcoins por lá chegam a ser até 30% maiores que os cobrados no restante do mundo.

Este é apenas o início da explicação do motivo que levou à fuga dos investidores com a notícia de um iminente banimento. Permanecer no mercado em tais condições significaria perder dinheiro, algo que pode acontecer em um instante no caso das criptomoedas. E ninguém quer ver o próprio bolso sendo afetado.

Fonte: Telegraph

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.