Agência de criptomoedas perde acesso a US$ 190 milhões porque o dono morreu

Por Rafael Rodrigues da Silva | 05 de Fevereiro de 2019 às 11h49
DepositPhotos

Uma caso inusitado envolvendo criptomoedas aconteceu recentemente no Canadá: a QuadrigaCX, maior empresa de troca de criptomoedas do país, não tem mais acesso a um cofre que contém cerca de US$ 190 milhões em moedas virtuais.

O caso aconteceu quando o fundador da empresa, Gerald Cotten, morreu de maneira inesperada na semana passada. O problema é que Cotten era a única pessoa que tinha a senha do “cold storage” — um tipo de cofre onde ficam todos os investimento de longo prazo dos investidores. Para piorar a situação, é nesse cofre que ficam a maior parte de todo o dinheiro da agência, e a viúva de Cotten tem acesso apenas à quantia presente na “carteira”, que é onde fica o dinheiro para transferências e transações.

Mesmo que a família tenha ficado com o laptop de Cotten, nenhum dos familiares tinha a senha para acessá-lo — e o profissional de TI contratado pela família para tentar forçar a entrada não conseguiu fazer o serviço. Assim, a empresa não tem como dar o retorno do investimento a 115 mil clientes, que investiram um valor total de US$ 70 milhões quando da criação do fundo que, hoje, está avaliado em cerca de US$ 250 milhões.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Isso, claro, fez com que surgissem diversas teorias da conspiração, que alegam que Cotten forjou a própria morte para fugir com o dinheiro do fundo. Por enquanto, a viúva dele está entrando com um pedido de proteção de crédito no governo canadense, pois não se sabe quando e nem se será possível acessar o fundo em algum momento.

Fonte: Fast Company

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.