Olimpíadas | A ausência de torcida afeta o desempenho dos atletas?

Olimpíadas | A ausência de torcida afeta o desempenho dos atletas?

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 27 de Julho de 2021 às 23h20
Sam Balye/Unspash

A pandemia levou o Japão a continuar com a Olimpíada de Tóquio, mas sem torcida nas arquibancadas. Com isso, vem a questão: como a ausência de torcida pode impactar os atletas olímpicos?

A Universidade Johns Hopkins tem feito uma pesquisa sobre como a motivação impulsiona as ações motoras e o desempenho dos atletas. Na visão de Vikram Chib, professor que lidera o estudo, os espectadores são uma forma de motivação, o que pode deixar alguém animado ou nervoso. No entanto, quando as pessoas são muito habilidosas e altamente treinadas, como são esses atletas, a ausência de torcedores não faz muita diferença.

Segundo o pesquisador, o impacto pode ser maior para as pessoas que estão um pouco abaixo do nível, que estão lá apenas para competir e talvez esperar bater um recorde pessoal. Mas não há certeza de quanta diferença isso fará para as pessoas que já esperam ganhar.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

O pesquisador diz que quando uma pessoa está sendo observada por outras, tem a esperança de ter um bom desempenho, seja pelo desejo de ser vista favoravelmente ou porque não deseja o feedback negativo. Nessa situação, determinadas áreas do cérebro são ativadas, o que o professor chama de mentalização: pensar nas outras pessoas e no que elas estão pensando. Portanto, essas áreas cerebrais tendem a aumentar os incentivos relacionados ao desempenho bem-sucedido da tarefa.

(Imagem: Kyle Dias/Unsplash)

Essas áreas representam os pensamentos sobre o que as outras pessoas estão achando, e influenciam as representações de valor relacionadas ao desempenho bem-sucedido da tarefa. E então, quando a pessoa está desempenhando a tarefa, essas representações de recompensa se misturam no estriado ventral, uma área do cérebro que está relacionada aos aspectos motores e motivacionais, e é isso que energiza e revigora o desempenho. 

"Para esses atletas olímpicos, existe o incentivo social de um público. Mas também existem outros incentivos: muitos países oferecem bônus financeiros se você ganhar uma medalha. E para alguns atletas, como ginastas, se eles tiverem um bom desempenho, eles podem conseguir contratos de patrocínio no valor de milhões de dólares posteriormente. Portanto, os incentivos não vêm apenas das pessoas nas arquibancadas", conclui o pesquisador.

Fonte: Futurity

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.