Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

É verdade que forçar um sorriso te deixa mais feliz?

Por| Editado por Luciana Zaramela | 24 de Outubro de 2022 às 17h45

Link copiado!

AboutImages/Envato
AboutImages/Envato

Fingir um sorriso te torna mais feliz? Essa foi a pergunta que um novo estudo publicado na revista científica Nature Human Behavior tentou responder. Para isso, cerca de 3.800 voluntários de 19 países foram solicitados a sorrir ou manter uma expressão neutra para que depois os pesquisadores avaliassem sua felicidade.

A ideia não é nova: um estudo de 1988 pediu que as pessoas segurassem uma caneta com os dentes para simular um sorriso ou com os lábios para simular uma expressão neutra. Segundo a pesquisa, sorrir sem estar ciente disso fazia com que os participantes se sentissem mais divertidos.

Nesse novo estudo, os pesquisadores fingiram estudar como pequenos movimentos e distrações afetavam as habilidades de resolução de matemática (para despistar os participantes e gerar um efeito mais espontâne). Na ocasião, os participantes receberam diversas instruções aleatórias como piscar ou colocar uma caneta entre os dentes ou segurá-la com os lábios, assim como a pesquisa de 1988.

Continua após a publicidade

Em uma segunda tarefa, os voluntários imitaram uma foto de um ator sorrindo ou mantendo uma expressão vazia. Conforme indicam os pesquisadores, os sentimentos de felicidade aumentaram um pouco em cada intervenção de sorriso, mas o efeito foi maior nas tarefas de imitação do que na tarefa de caneta na boca.

"Os resultados sugerem que o feedback facial pode não apenas amplificar sentimentos contínuos de felicidade, mas também iniciar sentimentos de felicidade em contextos neutros”, conclui o estudo. Os pesquisadores ainda indicam que o efeito felicidade surgiu tanto na presença quanto na ausência de estímulos emocionais.

Isso quer dizer que fingir um sorriso pode influenciar nosso humor porque sorrir ativa automaticamente processos biológicos associados à emoção. No entanto, ainda há muito o que se pesquisar em relação a esse mistério do comportamento humano.

Fonte: Nature Human Behavior via Science Alert