Publicidade

Transformação digital tem sido cada vez mais rápida, mas traz consigo exigências

Por| 25 de Junho de 2021 às 10h00

Link copiado!

Transformação digital tem sido cada vez mais rápida, mas traz consigo exigências
Transformação digital tem sido cada vez mais rápida, mas traz consigo exigências

À medida que a força de trabalho passou a conter cada vez mais nativos digitais completos, foi preciso analisar e compreender que esses profissionais definirão todo um novo modo de aplicar a tecnologia em diversas esferas da vida. Antes, para esses usuários, ela era uma ferramenta de distração e uso casual, que proporcionava entretenimento e aproximação para comunidades ao redor de todo o mundo. Daqui para frente, os meios tecnológicos serão cada vez mais usados no trabalho, para  aumentar a produtividade e possibilitar novas formas de desenvolvimento.

Estes profissionais modernos não se contentam mais em lidar com tecnologia de baixo desempenho ou dispositivos desatualizados, mas sim, exigem e necessitam para suas atividades equipamentos poderosos e flexíveis, que permitam trabalhar e realizar diversas atividades ao mesmo tempo em qualquer lugar. Caso o aparelho opere em alta performance, é melhor ainda. 

De acordo com o relatório de McKinsey “Transformações digitais no Brasil: insights sobre o nível de maturidade digital das empresas no país”, três setores empresariais apresentaram pontuação superior aos demais na  Pesquisa A&DQ Brasil: serviços financeiros, varejo, e telecomunicações e tecnologia, enquanto bens de consumo, transporte e infraestrutura, indústria de base e indústrias avançadas contam com notas bastante inferiores. O relatório analisou diversas ferramentas relacionadas à digitalização, como processos, conectividade, entre outros, e apontou uma série de ações que  empresas podem então aplicar para aprimorar o sucesso das transformações digitais. Duas delas, que estão dentro da dimensão de “Organização”, são “Garantir a responsabilização pela transformação” e “digitalizar ferramentas e processos de trabalho de uso diário”, ampliando assim, a tomada de decisões baseadas em dados, por exemplo. 

Neste sentido, uma das exigências trazidas por essa aceleração da transformação é a renovação constante dos equipamentos tecnológicos e softwares das empresas. Se considerarmos ainda os momentos de crise, onde o uso da tecnologia é ainda mais impulsionado, essa pressão fica ainda mais nítida, já que a demanda pelo digital é enorme, mas torna-se difícil realizar grandes investimentos para atendê-la. 

Continua após a publicidade

Entretanto, é interessante levar em consideração que esta renovação tecnológica traz outros benefícios que não englobam apenas a eficiência no campo digital propriamente dito. Ela é na verdade uma peça-chave para redução de custos, uma vez que equipamentos antigos aumentam os custos de manutenção e atualização, não permitem a otimização de processos e tarefas, além de poder causar downtime e falhas de segurança. 

Este último tópico, aliás, é crucial quando mencionamos um mundo tão digitalizado, que cada vez mais contará com inteligência artificial, operações em nuvem, e ao mesmo tempo, tem promovido constantes debates sobre uso e proteção de dados, tanto individuais quanto corporativos. Um estudo afirma que 60% das empresas encerram suas atividades dentro de seis meses após serem vítimas de uma violação de dados ou ataque cibernético, de acordo com o CimTrak. Ou seja, apenas um pequeno erro no sistema de segurança de uma empresa pode gerar perdas catastróficas para o negócio.

Além de perdas financeiras, a transformação digital deve levar em consideração a economia de energia. Esta é uma via de mão dupla, já que um equipamento atualizado ajuda a gastar menos conta de luz, por exemplo, e contribui para um uso mais sustentável da tecnologia. Daqui a alguns meses, em julho, a ONU promoverá mais uma edição do Fórum Político de Alto Nível, que focará na recuperação sustentável pós-pandemia da Covid-19 e a contribuição para a realização da Agenda 2030. Para a tecnologia, empresas então deverão investir para oferecer soluções que contem com melhores condições de sustentabilidade, incluindo economia de energia, redução na emissão de poluentes e descarte de materiais tóxicos. 

O relatório de insights da McKinsey aponta que “o sucesso da transformação digital de uma empresa será determinante para sua permanência no mercado brasileiro atualmente e no futuro”, e eu não poderia concordar mais, acrescentando ainda não apenas a permanência, mas a competitividade, seja com pequenos, médios ou grandes players.  Diante desse cenário, é possível identificar inúmeras estratégias e oportunidades a serem aplicadas. Compreender as necessidades do negócio e realizar investimentos precisos serão a chave para colher bons frutos para a empresa e na contribuição ao próprio mercado.