Sucessos de bilheteria devem ajudar cinemas chineses a se reerguerem

Por Laísa Trojaike | 26 de Março de 2020 às 11h27
Marvel

A China finalmente está se recuperando após o pico da pandemia da COVID-19 e, como consequência, as pessoas estão podendo sair do isolamento. Com isso, estabelecimentos como cinemas estão voltando a abrir com a ajuda do governo chinês. Para atrair público e voltar a movimentar o capital no setor de entretenimento, o país está apostando nos grandes blockbusters.

Segundo informações do The Hollywood Reporter, os quatro filmes da franquia Vingadores, Avatar (James Cameron, 2009), A Origem (Christopher Nolan, 2010) e Interestelar (Christopher Nolan, 2014) ficarão em cartaz durante semanas, mas as novas datas de estreia ainda não foram divulgadas.

O sucesso chinês Lobo Guerreiro II voltará aos cinemas (Imagem: United Entertainment Partners)

Além disso, os estúdios chineses fizeram um acordo com a distribuidora estatal China Film Group e concordaram em abrir mão da sua porcentagem de bilheteria para ajudar os cinemas a se reerguerem após a crise financeira sofrida. Sucessos chineses, como Zhan lang II (2017), Terra à Deriva (2019) e Espírito de Lobo (2015), voltarão a estar em cartaz e toda a bilheteria poderá ser retida integralmente pelo cinema que exibi-los.

A China, por seu número populacional, sempre é alvo de Hollywood para dar um gás nas bilheterias. Se a estratégia funcionar, pode reviver a antiga briga pelo título de maior bilheteria de todos os tempos. Atualmente, a marca é de Vingadores: Ultimato, com US$ 2.797 bilhões, ultrapassando Avatar por muito pouco. O primeiro filme da franquia de James Cameron está atualmente na marca de US$ 2.790 bilhões, segundo dados disponíveis no Mojo.

Fonte: The Hollywood Reporter

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.