Novo Exterminador do Futuro pode ser o último — e não por causa da trama

Por Claudio Yuge | 04 de Novembro de 2019 às 22h00
fox films

Eis que James Cameron e Linda Hamilton estão de volta, assim como Arnold Schwarzenegger, à franquia blockbuster que os consagraram nos anos 1990. Mas seriam esses retornos o suficiente para renovar O Exterminador do Futuro para uma possível nova fase da trama? Bem, há grandes chances de essa história ser o fim — e não exatamente por conta do roteiro.

Como todos sabem, é dinheiro que move essa indústria. O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio somou apenas US$ 123 milhões em seu final de semana de estreia, com US$ 29 milhões nos Estados Unidos e US$ 28 milhões na China — que é, atualmente, um dos termômetros globais para definir o tamanho do sucesso de um grande longa.

Embora tenha custado relativamente barato, US$ 180 milhões, O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio teve um investimento massivo em marketing na conta de várias empresas. O título deve causar mais de US$ 120 milhões de prejuízo aos estúdios Skydance Media, Paramount e Fox, segundo o The Hollywood Reporter.

A Fox administrou a distribuição internacional — marcando outro fracasso que a Disney teve que controlar após adquirir a companhia, com uma perda operacional de US$ 170 milhões no segmento de filmes no terceiro trimestre. "A mitologia foi reiniciada tantas vezes sem muito sucesso. É bastante claro que o público já teve o suficiente", disse Jeff Bock, analista sênior de bilheteria.

Destino Sombrio é o Exterminador do Futuro mais bem cotado no Rotten Tomatoes

O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio é o sexto filme da franquia e, mesmo com o flop nas bilheterias, é o mais bem cotado no site de reviews Rotten Tomatoes, com 70% de aprovação. Veja bem, O Exterminador do Futuro: Gênese, de 2015, conseguiu apenas 27%, e O Exterminador do Futuro: Salvação, de 2009, chegou a 33%.

Para Paul Dergarabedian, analista sênior da firma de consultoria Comscore, é uma pena que, agora que a franquia recebeu seu melhor tratamento desde O Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final, ela tem sido pouco vista. "Finalmente, depois de muitas tentativas desde 1991, o filme teve o pedigree criativo, o ponto de vista, o elenco e o enredo que aparentemente todos estavam esperando. E, no entanto, o filme ficou abaixo das expectativas [nas bilheterias]”, disse.

Cameron já havia dito anteriormente que essa nova produção poderia significar o início de uma nova trilogia. Mas, ao que parece, isso pode não acontecer, pelo menos por enquanto — afinal, como aprendemos ao longo do tempo, nunca podemos dizer “nunca” em Hollywood.

Fonte: Business Insider  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.