Ex-titã de Hollywood, Harvey Weinstein é condenado por estupro

Por Rafael Arbulu | 24 de Fevereiro de 2020 às 19h30
(Imagem: Reprodução/Variety)

Harvey Weinstein, outrora um dos maiores nomes da indústria mundial do cinema, foi condenado hoje (24) pelo crime de estupro, durante julgamento realizado em Nova York. Weinstein tomou conta do noticiário há alguns anos quando acusações de crimes sexuais cometidos ou encobertos por ele contra aspirantes a atrizes em Hollywood vieram à luz, dando início, nas redes sociais, aos movimentos conhecidos como #MeToo (“Eu também” ou “Comigo também”, em uma tradução contextualizada) e #TimesUp ("Acabou o Tempo").

O acusado enfrentou um júri composto por sete homens e cinco mulheres, que decidiram por unanimidade pela condenação do ex-titã de Hollywood. Ainda está pendente uma audiência para determinação de pena, mas, pelas leis do estado de Nova York, crimes sexuais podem render prisão entre 5 e 25 anos, mais entrada do nome da pessoa condenada no registro federal de criminosos sexuais.

Essa condenação refere-se à relação sexual forçada que Weinstein impôs sobre a então assistente de produção reality show Project Runway, Miriam Haley, em 2006: na ocasião, Harvey a forçou a fazer sexo oral nele. O júri ainda condenou Weinstein por outro crime: o executivo teria, em 2013, estuprado uma mulher que a mídia não nomeou, a fim de respeitar sua privacidade, em um hotel na cidade. Essa condenação traz uma pena adicional máxima de até 4 anos, sem tempo mínimo de prisão, e também implica seu nome no registro de criminosos sexuais.

Harvey Weinstein, de andador, foi condenado por crimes de estupro em julgamento realizado em Nova York: ele pode pegar entre 5 e 30 anos de prisão (Foto: Scott Heins/Getty Images)

Weinstein acabou absolvido de três outras acusações, incluindo duas bem graves de “abuso sexual predatório”, que o jargão inglês indica ser o exercício do crime de estupro de forma continuada e por meio de influência, e que poderia trazer pena de prisão perpétua ao ex-executivo de Hollywood. No caso, a “posição de influência” seria a chefia de Weinstein na empresa Weinstein Company, um estúdio independente que já produziu filmes vencedores de 81 estatuetas do Oscar, como Shakespeare Apaixonado e O Discurso do Rei. O chefe do estúdio usava de sua posição para fazer sexo com jovens atrizes em busca de papéis em seus filmes e, à época, grandes nomes atuais da indústria foram impactados, como Asia Argento, Kate Beckinsale e Rosanna Arquette, entre outras.

Após o veredicto, Weinstein foi imediatamente algemado e devolvido à custódia das autoridades. Agora, ele aguarda a data de 11 de março, quando será realizada a audiência de sentença de suas condenações. Seus advogados pediram à corte que ele fosse mantido em cárcere dentro de alguma enfermaria do presídio, devido ao estado avançado de seu diabetes e problemas de coluna.

Fonte: The Guardian

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.