Briga entre Sony e Marvel pode tirar Homem-Aranha do MCU

Por Rafael Rodrigues da Silva | 20 de Agosto de 2019 às 19h50
Tudo sobre

Marvel

Saiba tudo sobre Marvel

Ver mais

Más notícias para os fãs do MCU: tudo indica que o Homem-Aranha não fará mais parte dos heróis do Universo Cinematográfico da Marvel.

A notícia, revelada nesta terça-feira (20) pelo site Deadline, afirma que a Disney e a Sony não chegaram a um acordo sobre a divisão dos direitos do personagem e por isso a Sony - que possui todos os direitos sobre uso do Homem-Aranha e de todos os personagens dos quadrinhos do aracnídeo - decidiu por acabar com as negociações, não mais emprestando os direitos do personagem para a Marvel, o que o impediria de aparecer em qualquer filme dos Vingadores ou de contracenar com qualquer outro personagem do MCU.

De acordo com as fontes que entraram contato com a Deadline, o motivo pelo fim das negociações seria o financeiro: enquanto a Marvel propunha um novo acordo de 50/50 - ou seja, Sony e Marvel bancavam cada uma metade dos valor necessário para a produção do filme, e depois repartiam pela metade também os lucros gerados -, que valeria não apenas para o próprio Homem-Aranha, mas também para o uso de todo o universo expansível do herói (o que abriria a possibilidade de o Venom de Tom Hardy e o Morbius de Jared Leto também aparecerem no MCU), a Sony faz questão de não mudar o acordo atual, onde a empresa banca todos os custos de produção do filme, decide quais personagens podem ou não fazer parte do MCU, mas permite que os executivos da Marvel decidam tudo o que for relativo ao longa (roteiro, escolha de elenco, diretor, etc), e ela recebe apenas 5% do valor bruto da bilheteria como compensação financeira, além de toda a arrecadação com as vendas de merchandising do herói (brinquedos, mochilas, lancheiras, canetas, etc) que tivessem alguma ligação com os filmes.

Briga pela custódia

Para entender a disputa pelo personagem, é preciso voltar para o início da década de 1990. Com sérios problemas financeiros, a Marvel havia vendido os direitos de seus principais personagens para estúdios de cinema que quisessem, e a Sony comprou os direitos sobre o Homem-Aranha enquanto a Fox comprou os direitos sobre os X-Men e o Quarteto Fantástico. Na época, esses direitos foram vendidos sobre uma condição específica: caso qualquer desses estúdios ficassem dez anos sem lançar nenhum filme dos personagens, os direitos sobre eles voltavam para a Marvel. Senão, eles possuíam direitos totais sobre o universo desses personagens, e poderiam fazer o que quiser com eles sem consultar a editora.

Assim, a Sony já tinha feito um sucesso inicial com a primeira trilogia do Cabeça de Teia (a de Tobey Maguire) e lançado outros dois filmes do personagem de sucesso bem menor (os do Andrew Garfield) quando a Marvel entrou em contato sobre a possibilidade de uso do personagem no MCU. Como na época tudo indicava que a empresa não teria o retorno esperado de bilheteria com um terceiro filme de Andrew Garfield, a Sony acabou “alugando” o uso do personagem para a Marvel e permitindo o uso dele junto com os Vingadores.

Assim, foi o estúdio comandado por Kevin Feige que escolheu o atual intérprete do personagem (Tom Holland) e revitalizou a marca do Homem-Aranha nos cinemas, transformando-o em um dos principais personagens do MCU e deixando a entender que ele será a nova “cara” dos Vingadores depois dos acontecimentos de Guerra Infinita e Ultimato.

Mas, caso as fontes da Deadline estejam corretas, a Sony já se sente segura o suficiente para levar o personagem sozinha daqui em diante, e acredita que não precisa mais do MCU e da Marvel para fazer do teioso um sucesso nos cinemas. Assim, a companhia estaria disposta a manter Tom Holland como o Aranha, mas trazê-lo para seu universo cinematógrafico próprio que, até então, possuía apenas vilões nenhum herói para chamar de seu.

Claro, ainda há tempo de ambas as empresas chegarem a um acordo: nenhum dos próximos filmes da Marvel (o filme solo da Viúva Negra e o das entidades cósmicas conhecidas como Eternos) deverá ter a presença do Aranha, então as empresas têm pouco mais de um ano para retomarem as negociações e voltarem a partilhar os direitos do herói. Fontes de dentro da Marvel falam ainda que já existem planos para dois novos filmes do Homem-Aranha dentro do MCU, mas é bem provável que eles sejam cancelados caso as empresas não consigam se entender.

Fonte: Deadline

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.