'O Hobbit: Uma Jornada Inesperada' e a polêmica dos 48 quadros por segundo

Por Redação | 14.12.2012 às 14:30

Quando foi apresentado no primeiro semestre de 2012, o trailer do filme 'O Hobbit: Uma Jornada Inesperada', do aclamado Peter Jackson, dividiu algumas opiniões. O motivo é a maneira como ele foi gravado, com 48 quadros por segundo.

Mas você sabe qual é a mudança causada pela duplicação no número de quadros de um filme? Bem, a grande maioria das produções utilizam 24 quadros - ou frames - por segundo, e os produtores do Hobbit resolveram elevar esse padrão para 48 quadros. A qualidade da imagem subiu a um nível que nossos olhos não estão acostumados.

As cenas em movimento, por exemplo, se tornam muito mais realistas devido ao fato da imagem estar mais fragmentada, dando tempo para que mais detalhes entrem em cena. Mas você deve estar se perguntando: se a qualidade irá aumentar, por que o medo dos produtores e do estúdio ao lançar o filme nesse formato?

Os especialistas na área dizem que a mudança é bem impactante. As pessoas não estão acostumadas com toda essa riqueza de detalhes, nem com o efeito que ela dá nos personagens. Além disso, apesar da novidade parecer interessante e ter grandes chances de despertar o interesse do público, a troca de padrões implicaria na troca de diversos equipamentos, como aconteceu com o 3D, por exemplo.

Peter Jackson já havia defendido por meio de uma postagem no Facebook os motivos que o levaram a utilizar os polêmicos 48 frames em 'O Hobbit'. Ele explica que vivemos em uma era digital e que não vê razão alguma para ficar preso aos 24 quadros.

Ele ressalta que a ciência nos diz que o olho humano deixa de ver fotos individuais em cerca de 55 quadros por segundo. Portanto, jogar na telona 48 quadros por segundo vai dar ao público muito mais do que uma ilusão da vida real.

"Como cineasta, eu tento fazer meus filmes serem envolventes. Eu quero tirar o público de seus assentos e trazê-los para a aventura. Essa é a experiência que espero oferecer aos espectadores, não importa qual o formato que eles escolham no cinema. Embora eu, pessoalmente, prefira assistir O Hobbit: Uma Jornada Inesperada no HFR 3D (48 fps), posso garantir-vos que cada formato irá fornecer uma experiência incrível e imersiva", completa Peter Jackson.

A produção estreia hoje, e no final das contas, a Warner Bros. e o diretor resolveram lançar apenas algumas cópias limitadas do filme na versão de 48 quadros por segundo. Na hora de escolher a sua sala, certifique-se de que a cópia é HFR (high frame rate).