Rússia anuncia volta do homem para a Lua em 2024

Por Redação | 03 de Setembro de 2015 às 14h20

Há cerca de 46 anos o homem caminhava pela Lua e todos os olhos estavam voltados a este acontecimento. Como comandante da missão Apollo 11, o americano Neil Armstrong se tornou o primeiro homem a pisar em território lunar. A corrida espacial da época era dominada pelos Estados Unidos e União Soviética, mas com grande rivalidade. Tanto que antes de chegar à Lua, o homem já havia ido ao espaço, a exemplo do soviético Yuri Gagarin, em 1961. Muito tempo se passou, mas um certeza permanece: os russos ainda estão bastante interessados em pisar em solo lunar.

Enquanto os Estados Unidos estão focados em missões em Marte, os russos querem estabelecer uma base lunar de alta tecnologia, com habitats humanos, laboratórios de lançamento e um porta desembarque para naves espaciais. Um observatório astronômico na Lua também é desejado por eles. Tudo isso faz parte de um projeto da agência espacial da Rússia, a Roscosmos.

As missões da Roscosmos para a Lua não são compostas de boas histórias. Durante a corrida espacial da era Apollo, a antiga União Soviética desembarcou na Lua rovers robóticos que ocasionaram uma série de falhas e explosões que interromperam o progresso das missões russas no nosso satélite natural. Após isso, a agência espacial decidiu que seu programa para colocar o homem de volta na Lua não valia todo o risco e investimento.

Passados os anos, a Roscosmos resolveu revivendo esse programa, planejando lançar uma nave espacial, chamada de Luna 25, que irá pousar no polo sul da Lua em 2024. Engenheiros já estão construindo o veículo e o produto final será composto de oito câmeras para ajudar na navegação e envio de imagens. Além disso, haverá uma broca para escavação da superfície lunar.

Um modelo similar à Luna 25 pode ser visto na imagem abaixo:

Sonda espacial

A sonda irá executar seus componentes eletrônicos utilizando uma bateria alimentada por um material radioativo chamado de Plutônio-238. Tal elemento químico será utilizado por sua geração de calor, que é convertida em eletricidade.

Mas engana-se quem pensa que a Roscosmos seja a única agência a pensar no retorno à Lua. A Agência Espacial Europeia também anunciou planos ambiciosos para sua própria colônia lunar. Em contraste, os Estados Unidos estão atentos para a Lua de Marte, e recebeu críticas veementes de alguns especialistas e engenheiros espaciais. Eles argumentam que a NASA deveria investir em primeiro lugar na criação de uma base lunar e, em seguida, passar para o mais difícil e mais perigoso: uma base em Marte.

Já outra vertente de especialistas e estudiosos argumenta que um retorno à Lua não seria nada mais do que regredir. Segundo eles, os humanos precisam testar os limites de suas engenhosidades para que possam progredir como espécie. Sendo assim, eles acreditam que explorar Marte é uma das maneiras de fazer isso. "Vamos a Marte provar que é factível, provar que é viável e, em seguida, analisar a forma de fazer uma base regular que seja acessível", afirmou Harley Thronson, cientista sênior da NASA.

Via TechInsider

Fonte: http://www.techinsider.io/russia-announces-luna-25-return-to-the-moon-2015-9?utm_source=feedly&utm_medium=webfeeds

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.