Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Mapa revela como era a sua cidade no "tempo dos dinossauros"

Por| Editado por Luciana Zaramela | 17 de Agosto de 2023 às 13h11

Link copiado!

Elena Mozhvilo/Unsplash
Elena Mozhvilo/Unsplash

Como era a Terra há 700 milhões de anos? Um mapa interativo promovido pelo site Dinosaur Pictures permite justamente fazer uma comparação do planeta ao longo desse tempo. É possível escolher uma cidade específica, como São Paulo, e pesquisar para ver como era aquela região no "tempo dos dinossauros", além de descobrir os achados fósseis mais próximos.

Através de uma separação por período, o site possibilita ver desde 20 milhões de anos, momento em que mamíferos e pássaros continuam a evoluir para formas modernas e os primeiros hominídeos surgiram na África, até o Criogênico (750 milhões de anos), onde as geleiras podem ter coberto todo o planeta durante a maior era do gelo conhecida na Terra.

Como funciona o mapa interativo da Terra?

Continua após a publicidade

Ao colocar uma cidade e escolher um determinado período, o site indica os fósseis próximos e fornece uma breve explicação. Por exemplo: há 600 milhões de anos, a Terra vivia o período Ediacarano, com a vida evoluindo no mar e a vida multicelular começando a surgir. O site descreve o supercontinente Panótia como uma grande massa de terra.

Há 600 milhões de anos, o fóssil mais próximo da cidade de São Paulo (SP) foi o Aeolosaurus, um dinossauro herbívoro. Além de apontar na Terra a localização da cidade e mostrar como era o planeta na ocasião, o site em questão ainda dá a opção de clicar para saber mais sobre o dinossauro e conferir suas imagens:

Um ponto interessante da navegação é que, apertando as teclas da esquerda e da direita, é possível ver em "tempo real" a separação dos continentes, o que fornece uma noção do que foi acontecendo com a Terra ao longo dos milhões de anos.

Continua após a publicidade

Mundanças na Terra ao longo dos milhões de anos

Em 2020, um fóssil de 70 milhões de anos revela que os dias na Terra antiga eram mais curtos. A descoberta foi publicada no Paleoceanography and Paleoclimatology. O estudo revelou que os dias tinham cerca de 23 horas e meia de duração e que a Terra levava 372 dias para completar uma órbita ao redor do Sol, e não 365 dias como ocorre atualmente. O fóssil que ajudoua chegar a essa informação era de um molusco que viveu um pouco antes da extinção dos dinossauros.

Estudos também já permitiram entender como foram primeiras formas de vida na Terra: a vida não surgiu muito depois das rochas, datadas de 4 bilhões de anos atrás. Há fósseis de colônias microbianas de 3,5 bilhões de anos e de cianobactérias formando estromatólitos de 3,7 bilhões de anos, mas há isótopos em rochas na Groenlândia que indicam possível atividade microbiana de 3,8 bilhões de anos de idade.

De acordo com um estudo publicado na revista Nature Geoscience em 2020, a Terra era um mundo submerso quando a vida surgiu. Na ocasião, os cientistas analisaram dados de isótopos de oxigênio da antiga crosta oceânica onde agora a terra está exposta, formando a Austrália. Eles escreveram que "uma Terra primitiva sem continentes emergentes pode se parecer com um mundo de água, fornecendo uma restrição ambiental importante à origem e evolução da vida na Terra".

Continua após a publicidade

Fonte: Dinosaur PicturesCosmos MagazineTerra DailyNatureNature Microbiology