Internet quântica, a nova investida da Nasa para o futuro

Por Redação | 13.10.2016 às 22:31 - atualizado em 15.10.2016 às 20:52

Você já imaginou que o teletransporte aplicado à internet e ao envio e recebimento de dados poderia estar próximo? Claro que vamos ser razoáveis e entender que ainda não é hora de vermos pessoas se desintegrando em partículas por aí para "renascerem" em outro lugar, como faziam Kirk e Spock, em Star Trek. Mas a boa nova é que pesquisadores da Nasa conseguiram hoje efetuar um teletransporte quântico na maior distância já registrada fora de laboratório, enviando um fóton por 6 km através de uma rede metropolitana real, em Calgary, no Canadá.

Os testes estão sendo executados a fim de conseguir comunicações seguras e totalmente criptografadas. Os resultados foram divulgados nesta quinta-feira (13). Para conseguir o marco fora de um ambiente totalmente controlado, os pesquisadores utilizaram a plataforma de detecção supercondutora do Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa, a fim de detectar fótons transmitidos nos mesmos comprimentos de onda que são usados em telecom, com o mínimo ruído possível.

Os experimentos usaram fibra apagada, apenas, sem o auxílio de quaisquer equipamentos eletrônicos ou de rede na infra, como repetidores. Sendo assim, acredita-se que será possível implementá-los em futuros testes a fim de conseguir distâncias ainda maiores de teletransporte de partículas. A agência espacial pensa em proporções astronômicas e planeja enviar o novo método de comunicação ao espaço, para auxiliar em suas missões.

A teoria é bastante complexa, mas, resumidamente, isso se dá pelo entrelaçamento em nível quântico que une duas partículas diferentes em lugares distintos, respeitando os princípios do teletransporte como (achamos que) o conhecemos. Graças a esse fenômeno, é possível investir em redes de comunicação mais seguras do que as que já existem em abundância por aí. De acordo com a Nasa, "se duas pessoas compartilham um par de fótons entrelaçados, a informação quântica pode ser transmitida de forma desincorporada (ou seja, teletransportada), deixando um bisbilhoteiro com nada para interceptar e, assim, impossibilitando-o a ler a mensagem secreta".

Ainda falta um bom caminho para vermos a tecnologia funcionando em nível espacial, onde os repetidores seriam dispensados e canhões de laser fariam todo o processo para o envio das partículas.

Com informações do Daily Mail