Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Cientistas levam US$ 3 milhões em prêmio pela primeira imagem de um buraco negro

Por| 05 de Setembro de 2019 às 23h30

Link copiado!

EHT
EHT

Em abril deste ano, cientistas do Event Horizon Telescope (EHT) revelaram ao mundo a primeira imagem real de um buraco negro. A imagem levou dois anos para ser elaborada, em um trabalho que envolveu um time de mais de 200 pesquisadores. A imagem “borrada” teve um impacto tão grande na comunidade científica que a equipe do EHT recebeu uma merecida e generosa premiação.

Nesta quinta-feira (5), o Breakthrough Prize anunciou que o grande vencedor na categoria "física fundamental" foi o EHT, que levou o prêmio de US$ 3 milhões. "É uma conquista incrível para nós, e ser reconhecidos dessa maneira nos dá uma nova noção - de como isso afeta os outros", disse Sheperd Doeleman, diretor dO EHT. Ele dividirá o prêmio igualmente com os outros membros da equipe, e os cientistas serão homenageados no dia 3 de novembro em uma cerimônia que acontecerá no Ames Research Center, da NASA.

Para coletar dados de buracos negros, a equipe do EHT, que está na ativa há duas décadas, conecta radiotelescópios do Arizona, Espanha, México, Antártica e outros lugares ao redor do mundo para formar um telescópio virtual do tamanho da Terra. Doeleman e seus colegas estão de olho principalmente em dois buracos negros supermassivos: o Sagittarius A*, que fica no centro da Via Láctea, e o gigante cuja imagem foi capturada em abril, que está no coração da galáxia M87.

Continua após a publicidade

A missão do EHT é mapear os contornos desses objetos para capturar imagens do horizonte de eventos de cada um. É assim que conseguimos “ver” a sombra do buraco negro. Como resultado, vimos uma imagem bastante “borrada” e pouco empolgante para os que esperavam algo mais parecido com um filme de ficção científica, mas o fato é que não podemos enxergar algo que absorve a própria luz, assim como não podemos ver a luz ou os objetos que foram capturados pelo buraco negro. Mas isso não diminui a grande importância dessa imagem, que entrou para a história da ciência.

Doeleman e sua equipe ainda pretendem ir além. Eles estão agora trabalhando para conseguir uma imagem do Sagittarius A*, o que deve fornecer aos cientistas uma visualização de um tipo muito diferente de buraco negro supermassivo. Eles também pretendem incorporar mais antenas de rádio ao seu mega telescópio virtual, o que deve permitir ao EHT capturar vídeos de buracos negros supermassivos, algo que nos daria muito mais informações sobre o comportamento desses objetos. "Vimos apenas o começo", disse Doeleman.

Fonte: Space.com