SAIU O RESULTADO DO SORTEIO DO PRÊMIO CANALTECH!CONFERIR
Publicidade

Arqueólogos encontram sarcófagos de centenas de múmias no Egito

Por| Editado por Luciana Zaramela | 30 de Maio de 2022 às 19h30

Link copiado!

twenty20photos/Envato
twenty20photos/Envato

Nesta segunda-feira (30), arqueólogos apresentaram ao público centenas de sarcófagos do Egito Antigo, além de outros itens da Época Baixa, ou seja, de cerca do ano 500 d.C. Os itens foram encontrados no sítio arqueológico de Saqqara, a cerca de 30 km do Cairo, onde foram exibidos os achados.

A descoberta, feita em um cemitério da cidade, continha estátuas de bronze de diversos deuses egípcios: Anúbis, Amon, MIn, Osíris, Ísis, Nefertum, Bastet e Hator, bem como uma estátua sem cabeça do arquiteto Imhotep, que construiu a Pirâmide de Saqqara (precursora das grandes pirâmides de Gizé), segundo informações do Ministério de Turismo e Antiguidades do Egito.

Continua após a publicidade

Muito além dos sarcófagos

Continua após a publicidade

Além de 250 sarcófagos e 150 estátuas de bronze, também foi encontrado um instrumento musical cerimonial conhecido como sistro e uma coleção de recipientes de bronze utilizados em rituais no culto da deusa Ísis. Os caixões, feitos de madeira pintada, estavam intactos, enterrados em túmulos de poço, contendo múmias, amuletos e caixas de madeira.

O local dos achados, em Saqqara, é conhecido como "Cemitério dos Animais Antigos", um complexo de templos nas cercanias da capital do Egito, Cairo, que já foi chamado de "Bubasteion", em referência à deusa egípcia Bastet, associada aos gatos, que eram venerados em sua homenagem. A necrópole foi renomeada após o achado de outros animais mumificados, como leões, bem como estátuas de outros deuses.

Os arqueólogos comentam que a descoberta desta segunda confirma a utilização do templo para outras deidades egípcias além dos gatos. Estátuas de madeira das deusas Néftis e Ísis, de períodos ainda anteriores, também forem encontradas, ambas com rostos banhados a ouro. Elas estavam em posição de luto, posicionadas ao pé e cabeça de um sarcófago, protegendo o falecido.

Continua após a publicidade

Um dos sarcófagos continha um papiro bem preservado preenchido com hieróglifos, provavelmente versos do Livro dos Mortos (texto ritual que serve como guia para a jornada dos falecidos pelo além-túmulo), com tamanho estimado de até 10 metros de comprimento. O item foi enviado ao Museu Egípcio do Cairo para estudos, segundo Mostafa Waziri, Secretário Geral do Supremo Conselho de Antiguidades.

Sete tumbas foram encontradas cavadas na pedra no sítio arqueológico, três do Império Novo — de 1570 a 1069 a.C. — e quatro do Império Antigo — de 2575 a 2150 a.C. —, além da fachada de um cemitério deste último período, junto a centenas de figuras de madeira, estátuas de gatos e até mesmo gatos mumificados.

Continua após a publicidade

Alguns itens cosméticos também foram encontrados, como recipientes de kohl (tinta para os olhos utilizada pelos egípcios), braceletes e brincos. As estátuas, múmias e outros artefatos foram alinhados em frente à Pirâmide de Degraus de Djoser para o anúncio. Segundo os especialistas, é a primeira vez que itens da Época Baixa do Egito são encontrados em Saqqara, embora o local seja bem mais antigo — a Pirâmide de Djoser data de 2700 a.C.

Os sarcófagos serão transferidos para o Grande Museu Egípcio para serem expostos futuramente, quando a construção do museu em questão for concluída, próxima às grandes pirâmides. A previsão é que a abertura ocorra ainda este ano. Saqqara é um sítio arqueológico prolífico, sendo responsável por diversas descobertas arqueológicas recentes. Os trabalhos de escavação no local começaram em 2018.

Continua após a publicidade

Fonte: Reuters, Ministry of Tourism and Antiquities