Como funciona uma placa solar residencial?

Como funciona uma placa solar residencial?

Por Lupa Charleaux | Editado por Wallace Moté | 20 de Março de 2022 às 12h00
Bill Mead/Unsplash

Embora o Brasil tenha grande potencial para geração de energia solar, o uso de placas solares residenciais ainda é pouco explorado. Então, o Canaltech conta um pouco do funcionamento e dos benefícios dessa solução econômica e sustentável que pode ser instalada em qualquer imóvel.

Muitos usuários optam por realizar a instalação de um sistema de energia solar visando reduzir a conta de luz – chegando até 90% de economia. Nesses casos, o dono da residência paga apenas um valor mínimo referente a manutenção da rede.

Neste guia responderemos a algumas questões relacionadas a placas de energia solar. Descubra desde como são feitos os painéis até o custo médio para a instalação em uma residência no Brasil.

As placas solares são compostas de células fotovoltaicas com silício modificado (Imagem: Los Muertos Crew/Pexels)

Do que são feitos e como atuam os painéis de energia solar?

Os módulos fotovoltaicos, nome técnico das placas solares, são feitos a partir da união de várias pequenas unidades de células fotovoltaicas. Quando esses elementos são interligados em série, eles conseguem converter luz solar em eletricidade.

Como um "sanduíche", cada célula fotovoltaica é composta por duas “fatias” de um material semicondutor. Grande parte dos painéis solares usam o silício modificado com cargas elétricas positivas e negativas, material bem comum em microeletrônica.

Quando os fótons da luz solar colidem com os átomos de silício, o material semicondutor gera um deslocamento de elétrons criando uma corrente elétrica. Esse acontecimento tem o nome de efeito fotovoltaico.

Após serem captados pelas estruturas de metal que contornam os módulos, os elétrons podem ser transformados em energia utilizável. Então, o equipamento inversor solar converte a tensão contínua em corrente alternada equalizada na frequência de 60 Hz, podendo ser conectada à rede elétrica do imóvel através do quadro de luz e alimentar as lâmpadas e os aparelhos elétricos conectados às tomadas.

O que acontece com a energia solar excedente gerada pelas placas?

Através da ligação no quadro de luz, a energia excedente da residência pode ser “compartilhada” com a distribuidora local. Essa ação pode retornar em forma de créditos para o dono do imóvel em futuras contas de energia.

Para mais, é possível usufruir de um sistema de compensação usando a rede da distribuidora local em períodos de chuvas ou durante a noite. Dessa maneira, se a energia "compartilhada" durante o dia for equivalente à recebida em durante os períodos sem luz solar, o relógio de luz da residência ainda mantém o nível de consumo muito baixo ou quase zero e garante mais economia para os donos.

A instalação de um sistema de energia solar deve ser feito por técnicos especializados (Imagem: Kindel Media/Pexels)

Como ocorre a instalação da placa solar residencial?

Um sistema de energia solar residencial é composto pelos painéis fotovoltaicos, um inversor solar, estruturas de fixação, cabos e conectores específicos. Além disso, o processo de instalação deve ser feito por uma empresa especializada.

Os técnicos realizam um estudo da estrutura do imóvel para desenvolver o layout dos painéis solares. Com o projeto pronto, são instalados os suportes e os “trilhos” para os módulos no telhado da residência.

Após a etapa de instalação das placas, um eletricista realiza a conexão dos cabos com o inversor solar. Tal como, o profissional efetua a ligação do equipamento com o quadro de energia do imóvel.

Com a conclusão do projeto, o dono da residência necessita fazer o registro da instalação do sistema de energia solar na distribuidora da região. Isso será importante para obter créditos caso ocorra o excedente de energia.

Com a manutenção adequada, os painéis solares podem durar cerca de 25 anos (Imagem: Vivint Solar/Pexels)

Como é realizada a manutenção dos painéis de energia solar?

Um sistema de energia com placas solares de alta qualidade pode ter a vida útil entre 20 e 25 anos. Para isso, é necessária uma manutenção recorrente dos equipamentos de modo a evitar a degradação antes do tempo estimado.

Segundo especialistas, os painéis solares devem ser limpos com água a cada seis meses. No entanto, esse intervalo de limpeza pode variar em regiões que não costumam ter muita chuva ou com grande exposição à poluição.

Dispositivo importante do projeto, o inversor solar exige um acompanhamento constante. Seguindo a manutenção de forma correta, o aparelho pode necessitar da troca de peças após 5 ou até 10 anos de uso.

A instalação de um sistema de energia solar pode custar a partir de R$ 12 mil (Imagem: Los Muertos Crew/Pexels)

Quanto custa ter um sistema de placa solar residencial?

O investimento para a instalação de um sistema de placa solar residencial pode custar entre R$ 12 mil e R$ 15 mil, podendo variar conforme a cotação do dólar. Contudo, o valor pode ser recuperado em até cinco anos com a economia na conta de energia elétrica.

É importante salientar que o preço de um projeto de painéis solares está relacionado ao quanto de energia o imóvel consome ao longo de um ano. Lembrando que as residências costumam ter níveis variados de consumo conforme as estações.

Outro detalhe considerado é a região em que a residência está localizada. Por exemplo, casas em locais com bastante incidência de luz solar podem ter um sistema de geração de energia menor e com menos módulos.

Gostou de saber mais detalhes sobre o funcionamento das placas solares residenciais? Não esqueça de compartilhar essas informações com mais pessoas interessadas nesse tema!

Fonte: Agência Brasil, Guia do Construtor, LiveScience, Portal Solar (1,2)

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.