Qual a diferença entre o piloto automático e a direção automática da Tesla?

Por Felipe Ribeiro | 06 de Julho de 2020 às 12h56
Tesla
Tudo sobre

Tesla

Saiba tudo sobre Tesla

Ver mais

Os automóveis da Tesla são conhecidos não apenas pelo seu modo de propulsão 100% elétrico e livre de emissões, mas também pela tecnologia embarcada. Os recursos mais atraentes desses carros estão ligados aos sistemas de condução autônoma, que são sabidamente usados por Elon Musk como os grandes "car selling" da montadora. Mas muitos ainda confundem seu funcionamento e especificações, sobretudo quando falamos do piloto automático e do que a Tesla chama de Full Self-Driving (FSD), que aqui chamaremos de direção automática.

Leia também: Como funciona um sistema de frenagem autônomo?

É sempre bom lembrar que a Tesla se gaba de seus sistemas de segurança, mas suas nomenclaturas e tecnologias opcionais deixam, por vezes, o consumidor bem confuso. De modo resumido, o Full Self-Driving é um dos pacotes que estão dentro do Piloto-Automático da Tesla, mas são coisas bem distintas.

Piloto Automático

Antes de 2019, o Piloto Automático era conhecido como Piloto Automático Aprimorado e incluía recursos que agora fazem parte do pacote Full Self-Driving da Tesla. Em fevereiro de 2019, a empresa renomeou o Enhanced Autopilot (Piloto Automático Aprimorado) para Autopilot (Piloto Automático) e transferiu alguns recursos para o FSD. Como padrão, todo veículo Tesla vem equipado com recursos de segurança que incluem freios antitravamento, airbags, controle de tração e outras tecnologias comuns de segurança. Eles também vêm com o que a montadora chama de Recursos de Segurança Ativa, que são um pouco mais avançados.

Esses recursos incluem:

  • Trava de Emergência Automática
  • Aviso de colisão frontal e lateral
  • Alerta de aceleração para obstáculos
  • Monitoramento de ponto cego
  • Controle de mudança de faixa
  • Sensor de segurança emergencial para mudança de faixa

Como vocês já devem ter visto aqui nas análises de automóveis no Canaltech, por mais interessantes que essas tecnologias possam ser, elas já aparecem em boa parte dos automóveis mais modernos e considerados "premium" pelas montadoras, ou até mesmo em modelos um pouco mais acessíveis. Apesar disso, esses recursos ainda exigem uma boa dose de atenção do motorista, ou seja, eles podem até ser considerados semiautônomos, mas não vão te salvar em todo momento. E, por mais simples que possa parecer, esses itens estão englobados dentro do hardware do Piloto Automático, que conta com a ajuda de câmeras e sensores.

A Tesla também trabalha com opcionais dentro do Piloto Automático e o usuário pode incluir duas funções que deixam os automóveis ainda mais automatizados, como o controle de cruzeiro adaptativo e com reconhecimento de tráfego e o Autosteer, que faz ajustes na condução para o caso de o motorista não estar com as mãos no volante. Esses dois recursos permitem que os Teslas equipados com piloto automático conduzam sem muita contribuição humana. Ele permite que o carro acelere e diminua o tráfego, siga os limites de velocidade e mantenha seu curso quando estiver em uma pista claramente demarcada.

Leia Também: Bateria com autonomia de 2 mil km pode equipar carros elétricos em breve

Embora isso permita uma experiência autônoma, o carro está simplesmente seguindo os parâmetros do que pode interpretar na estrada por meio de suas câmeras. Portanto, repetimos: os motoristas devem sempre manter o controle total.

Direção Automática

O nome dá a entender uma coisa, mas vamos com calma. Embora os carros da Tesla equipados com o Full Self-Driving deem a impressão de uma total independência da máquina, seremos obrigados, mais uma vez, a repetir: o motorista sempre deve estar atento, mesmo com tecnologias absurdamente eficientes como estas.

A Tesla sempre vendeu a ideia de que seus recursos de segurança foram feitos para que o motorista tenha uma vida mais gostosa a bordo de um dos Models, e isso é perfeitamente possível com o FSD. Esse pacote inclui as seguintes adições:

  • Navegação completa no piloto automático (Beta)
  • Mudança automática de faixa
  • Estacionamento automático
  • Summon (chamada por aplicativo)
  • Smart Summon (Comandos por aplicativo)
  • Controle de tráfego e sinais de trânsito (Beta)

A Tesla já avisou, inclusive, que o AutoSteer receberá uma atualização em breve para que possa dirigir praticamente sozinho pelas ruas registradas pelo sistema do automóvel.

Quanto custa a brincadeira?

Hoje os recursos de segurança mais básicos, por assim dizer, já são de série nos Tesla. Mas, segundo a montadora, é possível acrescentá-los em versões mais antigas pela bagatela de US$ 3 mil. Já os recursos de direção automática que não estiverem já instalados no automóvel no ato da compra, podem ser adquiridos posteriormente por US$ 7 mil.

Leia Também: O Brasil está preparado para os carros elétricos?

De acordo com o CEO da Tesla, Elon Musk, o melhor momento para comprar FSD é agora, pois a Tesla diz que só vai ficar mais caro à medida que mais recursos forem adicionados. Também é possível que esse recurso se torne um serviço por assinatura, o que pode, em um determinado momento, ser um pouco mais rentável em termos de custos.

Fonte: The Next Web

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.