Publicidade

Qual é a diferença entre gasolina comum e aditivada?

Por| Editado por Jones Oliveira | 28 de Março de 2022 às 16h00

Link copiado!

Reprodução/Szasa Amanda, Unsplash
Reprodução/Szasa Amanda, Unsplash

Os principais tipos de gasolina encontrados nos postos pelo Brasil são a comum e a aditivada, embora algumas bandeiras também disponibilizem a chamada gasolina premium, batizada com um nome diferente em cada rede - DT Clean, Podium, etc.

Como as mais vendidas - e mais em conta - são justamente a comum e a aditivada, vamos explicar a você quais as principais diferenças entre esses dois tipos de gasolina.

Vamos lá?

Continua após a publicidade

Gasolina comum

A gasolina comum, como está explícito no nome, é a mais “comum” de todas. Por conta disso e, claro, pela sua composição, que falaremos a seguir, ela é um pouco mais barata do que a aditivada.

A gasolina do tipo comum é composta por 27% de etanol anidro e não tem qualquer aditivo de limpeza ou substância que ajude a proteger o motor. O problema desta fórmula é que, com o passar do tempo, resíduos carboníferos podem ficar depositados sobre as válvulas de admissão do motor, comprometendo o rendimento e aumentando o consumo.

Continua após a publicidade

Gasolina aditivada

Assim como a gasolina comum, a aditivada também tem em sua fórmula 27% de etanol anidro. E por que ela apresenta qualidade superior do que a comum? A resposta é bem simples.

A gasolina aditivada também tem em sua composição a presença de aditivos e dispersantes químicos que ajudam na limpeza do motor, aumentando a vida útil dos componentes.

Eles desprendem a sujeira depositada nas válvulas de admissão do motor, protegem do acúmulo e ainda lubrificam o sistema, incluindo os bicos de injeção eletrônica.

Continua após a publicidade

Comum x aditivada: Qual gasolina é melhor?

Agora que já explicamos as principais diferenças entre gasolina comum e gasolina aditivada, vamos tentar responder à “pergunta do milhão”: Qual a melhor para o carro?

A resposta, na verdade, é bem clara: a aditivada é, sim, melhor para a “saúde” do carro, pois danifica menos os componentes do motor e, de quebra, faz o veículo ter menos consumo de combustível.

“O abastecimento contínuo com combustíveis aditivados evita o acúmulo de partículas que prejudicam o desempenho do motor, o que reflete em um veículo com menos problemas a médio e longo prazo”, avisou Gilberto Posen, que trabalha no setor de análises da Raízen, licenciada da Shell.

Continua após a publicidade

Outro ponto levantado pelo especialista a favor da gasolina aditivada é que ela é a mais indicada também para pessoas que utilizam pouco o carro, ou seja, deixam o veículo mais parado na garagem do que em circulação.