Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

O que é a placa delete, moda que pode fazer você ser multado?

Por| Editado por Jones Oliveira | 19 de Agosto de 2022 às 19h00

Link copiado!

Reprodução/Mercado Livre
Reprodução/Mercado Livre

Você já ouviu falar em placa delete para o carro? Ela virou moda recentemente em todo o Brasil, mas, se você estiver pensando em usar o acessório no seu carro, é melhor entender direitinho como ele funciona. Caso contrário, pode ganhar uma bela dor de cabeça, além de uma multa e alguns pontos na carteira.

Vamos começar explicando efetivamente o que é a placa delete. De uma maneira bem simples, podemos dizer que ela é um acessório que pode te ajudar a deixar seu carro com um visual mais limpo, ou seja, mais bonito.

Isso é possível porque a placa delete, ao contrário das tradicionais, é um dispositivo que não utiliza parafusos para fixação no carro. Ela é fixada ao veículo por meio de imãs magnéticos ou, então, por uma moldura extra. E para quê?

Continua após a publicidade

Desta forma, fica muito mais fácil retirar a placa - frontal ou traseira - sem precisar de ferramentas. Pessoas que curtem fazer fotos, vídeos e demais conteúdos para redes sociais têm aderido cada vez mais à moda, já que o acessório é facilmente encontrado em e-commerces, como o Mercado Livre.

Usar placa delete no carro é contra a lei?

O uso da placa delete está tão na moda que há um perfil no Instagram, o @placadelete, com algumas poucas publicações exibindo modelos de carros que adotaram o visual “clean”, ou seja, instalaram o acessório para, vez ou outra, rodar por aí sem a placa dianteira do carro à mostra. Outro especialista no assunto, Hugo Marin, da 3D Details, explicou ao Canaltech que a ideia de trabalhar na placa delete surgiu em meio à pandemia, e por conta do medo de as pessoas terem as placas de carros clonadas em postagens no Instagram.

Continua após a publicidade

Mas será que usar a placa delete no carro é contra a lei? Pelo que diz o anexo I da Resolução nº 969 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), não. O resumo do texto diz que o PIV (sistema de Placas de Identificação de Veículos) precisa ser fixado nos veículos em primeiro plano, nas extremidades dianteira e traseira.

Não há nada na lei que diga que o proprietário precise não possa fixar a placa por meio de imãs, como no caso da placa delete. Então por que o motorista que utilizar o acessório corre riscos de ser multado? É simples.

O artigo 230 do CTB (Código de Trânsito Brasileiro) é claro ao alertar que “conduzir veículo automotor (carro, moto, caminhão) sem uma ou qualquer uma das suas placas de identificação caracteriza infração de natureza gravíssima, com pagamento de multa de R$ 293,47”, além dos pontos na CNH.

Continua após a publicidade

Desta forma, caso o motorista esteja rodando com a placa fixada por meio de imãs e passar por um buraco ou por uma enchente, poderá ficar sem elas pelo caminho e não perceber. Pronto. O que era um acessório para deixar o carro com visual mais limpo e vistoso, se transformou em prejuízo financeiro.