Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Carros elétricos podem beirar 90% da frota global em 2030

Por| Editado por Jones Oliveira | 25 de Setembro de 2023 às 09h30

Link copiado!

Freepik/CC
Freepik/CC

A “invasão” dos carros elétricos às ruas de todo o planeta pode ganhar proporções inimagináveis em 2030. Pelo menos essa é a previsão do RMI (Rocky Mountain Institute) em seu mais recente relatório.

De acordo com os números projetados pelo instituto, a frota mundial de BEVs em 2030 representará um número entre 62% e 86% do total de carros que estarão circulando normalmente, deixando uma fatia bem menor para os a combustão.

A justificativa para a previsão é que a procura por carros movidos a combustível à base de petróleo atingiu seu pico em 2019 e, desde então, encontra-se estagnada. Enquanto isso, o interesse pelos carros movidos a bateria vem crescendo dia após dia.

Continua após a publicidade

O RMI apontou a China como principal expoente dessa nova realidade, mas pontuou que outros países considerados líderes nessa transição de frota seguirão pelo mesmo caminho, aumentando rapidamente, em cerca de 6 anos, os níveis de venda de carros elétricos de 10% para 80% do mercado total.

“Até 2030, os EVs dominarão as vendas globais de automóveis. Se continuarmos a resolver os desafios e as vendas continuarem a subir, eles representarão entre 62% e 86% das vendas globais de automóveis até 2030, com a China a desfrutar de uma quota de mercado de pelo menos 90%”.

Paridade de preços também é chave

Outra argumentação utilizada pelo instituto para embasar a projeção sobre a “invasão” dos carros elétricos em todo o mundo é um fenômeno que já começou a ser visto inclusive no Brasil e que provocou uma reação em montadoras tradicionais de carros a combustão: a paridade de preços.

Segundo o RMI, o rápido crescimento da produção de baterias para carros elétricos impulsionou a redução dos custos e deu força para acelerar a mudança necessária no segmento dos transportes em vários países, principalmente na China e nos Estados Unidos.

Continua após a publicidade

Fonte: RMI.org