Carro por assinatura vale a pena? Veja 5 pontos positivos e 5 negativos

Por Felipe Ribeiro | Editado por Jones Oliveira | 18 de Julho de 2021 às 09h00
Matheus Argentoni/Canaltech

Os serviços de carro por assinatura estão cada vez mais populares e vantajosos, mas muitas pessoas ainda relutam em usufruir desse recurso, que veio para revolucionar a maneira como consumimos automóveis. Com simples passos e um pagamento mensal, você pode andar com um carro 0km sem se preocupar com manutenção, seguro e documentações; mas, por outro lado, ao final do contrato, o veículo deve ser devolvido ou ter sua assinatura renovada.

Culturalmente, o brasileiro gosta de possuir o veículo, dizer que aquele carro "é meu", mas o automóvel acaba se tornando um passivo indigesto quando pensamos em seus gastos, ainda mais com o combustível custando os olhos da cara. Por outro lado, o serviço de assinatura torna tudo isso bem mais simples e mira aqueles consumidores mais desprendidos.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

De todo modo, o serviço de carros por assinatura, assim como muitos outros, possui seus pontos positivos e negativos. O Canaltech separou cinco de cada e vai te contar agora.

Por que um carro por assinatura vale a pena

5. Carro 0km

Seja qual for a empresa ou montadora que você escolher, o carro que você assinar será sempre 0km, como se você o estivesse comprando na concessionária. É possível escolher, inclusive, todos os opcionais do veículo, como cores, acabamento, itens de segurança e tecnologia e até a instalação de insulfilm, muito comum no Brasil.

O novo Jeep Compass está no serviço da Fiat e pode ser assinado em todas as suas variantes (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

4. Tudo incluso

Ao assinar um automóvel, gastos como seguro, documentação, revisões e manutenções preventivas estão todos embutidos nas parcelas mensais. Portanto, você não vai precisar se preocupar com nada além de abastecer o automóvel e cuidar muito bem dele.

3. Aprovação facilitada

Ao contrário dos financiamentos bancários, todo o processo para a assinatura de um carro é muito mais simples. Basta que você tenha nome limpo na praça, renda que suporte o pagamento das parcelas e um cartão de crédito com limite para eventualidades.

2. Não se preocupar com a revenda

Uma das peculiaridades dos brasileiros com relação aos carros é que, mesmo que o automóvel seja um objeto de desejo, a compra é também condicionada ao valor de revenda, algo que em outros países é impensável. Ao assinar um automóvel, o cliente já sabe que é como o aluguel de uma casa, com os recursos sendo direcionados apenas para usufruir do produto, sem a desvalorização de um carro de sua propriedade. 

O Volkswagen Taos deve entrar no serviço de assinatura da montadora alemã ainda este ano (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

1. Preços vantajosos

A principal vantagem em ter um carro por assinatura é que o valor comparado a um financiamento é bem menor. Pense no seguinte cenário: você vai a uma concessionária para comprar um veículo sem entrada e precisa pagar a parcela com todos os juros e encargos possíveis.

No caso da assinatura, você não precisa desembolsar a "entrada" e paga um valor mensal bem inferior a de um financiamento.

Por que um carro por assinatura NÃO vale a pena

5. O carro não fica para você

Apesar dos valores serem vantajosos, ao final do contrato, caso não haja a renovação, você precisa devolver o veículo, pois as mensalidades não são cumulativas e não fornecem nenhum tipo de vantagem extra. Depois que você utilizar o carro, ele vai para uma rede concessionária ou loja para ser vendido. 

4. Modificações são proibidas

Como o automóvel não é seu, não será possível fazer modificações em sua estrutura, motorização e outros aspectos. Um exemplo bem comum é com carros turbinados, que podem passar por um processo chamado remap e ganhar mais potência e torque. Com um carro por assinatura, isso não pode ser feito.

3. Não pode ser usado por motoristas de aplicativos

As montadoras e empresas adotaram a política de colocar limitação de quilometragem para as assinaturas. Com isso, os motoristas de aplicativo não podem usufruir deste tipo de serviço. Contudo, muitas locadoras já oferecem planos e vantagens específicos para esses profissionais. 

O Renault Duster pode ser assinado no serviço da montadora francesa, mas nada de emprestá-lo ou usá-lo para fazer Uber (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

2. Nada de ficar emprestando

Assim como não é possível modificar, também não é permitido emprestar o carro. No momento da assinatura você precisa colocar em contrato quem serão os condutores do automóvel. 

1. O carro não é seu

O que é visto como uma vantagem para uns, pode ser uma enorme desvantagem para outros. Pelo fato de o veículo não ser seu, muitas coisas devem ser evitadas e proibidas. Por mais que haja o pagamento incluso do seguro e manutenção, há sempre o cuidado maior justamente pelo fato de o produto não estar em seu nome. Quando você finaliza o pagamento do financiamento, o produto é seu e de mais ninguém, algo que pode facilitar até para a troca por um outro carro ou solucionar eventuais problemas financeiros. 

E aí, canaltechers? Vocês veem vantagem em ter um carro por assinatura? Deixem nos comentários!

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.