Carro autônomo da Volvo deve ir às ruas em 2017

Por Redação | 25 de Fevereiro de 2015 às 08h17
photo_camera Foto: Divulgação

A Volvo já está quase pronta para testar os seus carros autônomos em vias públicas e, segundo informações do site iTnews, isso deve acontecer em 2017. A empresa está se dedicando na criação de automóveis de produção viável, que possuem uma rede complexa de sensores, lasers e câmeras, juntamente com um sistema baseado em nuvem.

O projeto, batizado de "Drive Me", está no seu segundo ano e vai colocar os carros nas ruas da sua cidade natal, Gothenburg, na Suécia. O que se sabe, até agora, é que a tecnologia dos veículos será integrada com o tráfego real das vias.

Ainda segundo a fonte, a Volvo afirmou que o sistema de condução foi criado depois de uma uma análise extensa de falhas potenciais. Para que o sistema de piloto automático funcione corretamente, está sendo usada uma combinação de câmeras, sensores, GPS e radar para fazer o rastreio do que está em volta do carro.

Esses sensores são capazes de gerar imagens em 360 graus e em 3D, enquanto os radares e as câmeras estão nos para-brisas trabalhando na leitura dos sinais de trânsito, condições das estradas e outros objetos que possam aparecer.

Transmissores adicionais também fazem parte do veículo, sendo colocados em cada canto do veículo, ao lado de duas câmeras extras nos espelhos laterais e mais dois na parte traseira e dianteira do para-choque para detectar proximidades na pista.

Além disso, os carros autônomos da fabricante sueca possuem outros scanners a lasers e radares instalados para detectar não só objetos, mas também a profundidade. Os GPS vão interagir com os acelerômetros e giroscópios para ajudar na navegação do veículo.

Em comunicado oficial, o vice-presidente sênior da Volvo, Peter Mertens, afirma que todo o sistema é ligado com centros de controle de autoridades de trânsito para que seja feito o mapeamento correto com as informações de trânsito necessárias.

Mertens também comenta que o veículo vai contar com um sistema de backup independente que assumirá o controle caso o sistema principal sofra alguma falha. O backup também vai funcionar para a travagem e direção.

"Estamos entrando em um território desconhecido no domínio da condução autônoma", diz Mertens. "Dar um passo animador para o piloto comum, com a ambição de permitir que estas pessoas comuns possam se sentar ao volante em um tráfego normal em via pública nunca foi feito antes", finaliza.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.